Jorge Fernandes avança com candidatura à federação de judo

Jorge Fernandes avança com candidatura à federação de judo

JUDO29.04.202416:26

Ex-presidente, destituido em 2022, apresentou intenção através das redes sociais e irá concorrer ao cargo com o atual líder da FPJ, Sérgio Pina e José Cachada, candidato derrotado por este nas eleições de abril de 2023.

«Confirmo que sou candidato a presidente da federação. As minhas intenções estão na apresentação da candidatura publicada nas redes sociais, onde também irei colocando o programa e a equipa que escolhi. Toda a gente conhece-me, mas, neste momento, não tenho mais nada para dizer. Está tudo naquela declaração», limitou-se a afirmar Jorge Fernandes a A BOLA, apesar da insistência, algumas horas depois de, ao início da tarde de ontem, ter surpreendido tudo e todos ao anunciar, através na internet, a candidatura à presidência da FPJ, organismo que dirigiu desde 2016 até ser destituído do cargo a 17 de dezembro de 2022 numa assembleia-geral extraordinária para o efeito por exigência do IPDJ .

Ainda restam seis meses até às eleições para os órgãos sociais da Federação Portuguesa de Judo que conduzirão os destinos da modalidade durante o ciclo olímpico de Los Angeles-2024, mas, pelos vistos, candidatos a presidente não faltam e agora até surgiu um inesperado. Ou talvez não.

Anúncio que acontece após, em janeiro, José Cachada já ter colocado na página da sua anterior campanha que avançava com a recandidatura, referindo que, um ano depois, está preparado para vencer. E em março, ter sido o atual líder da FPJ Joaquim Sérgio Pina a também confirmar a candidatura. Ele que, nas últimas semanas, tem recebido apoios públicos de algumas associações, o que pode ter forçado Fernandes a avançar.

Recorde-se que, em abril de 2023, após a destituição de Fernandes e cumprido o período eleitoral, Sérgio Pina, vice-presidente de Jorge Fernandes nos dois mandatos deste, foi eleito para presidir ao organismo ao derrotar José Cachada com 35 votos contra 21 (houve um voto em branco).

Antes disso Fernandes não resistira à carta aberta assinada em agosto por vários atletas da Seleção, entre os quais Telma Monteiro, assim como à forte contestação que mantiveram. No entanto, foi o inquérito instaurado pelo IPDJ, em consequência da apresentação de queixas, em que ficou provado que havia contratado para a federação um familiar e exerceu o cargo de treinador de judo enquanto presidente da FPJ, também é proibido por lei, que acabaram por provocar a queda forçada em assembleia geral face à ameaça da tutela em retirar o estatuto de utilidade pública à FPJ caso a exigência não fosse cumprida. O IPDJ não podia por si efetuar a exoneração.

«É com imenso entusiasmo, responsabilidade e firme espírito de missão que me candidato à presidência da Federação Portuguesa de Judo nas Eleições Federativas de 2024 e para as quais apresentarei um programa intitulado ‘Judo – A Dinâmica Necessária’», começa por referir o documento postado pela candidatura de Fernandes.

«Acredito firmemente que, unidos, somos capazes de realizar mais e melhor. Chegou o momento de assumir um compromisso responsável com todos os envolvidos e convidá-los a apoiar a equipa que apresentarei aos órgãos sociais da FPJ, rumo à estabilidade e crescimento da modalidade...»

«… Os que me conhecem sabem que sou amigo do meu amigo e conhecem a minha dinâmica e empreendedorismo, fatores determinantes para unificar o Judo Nacional nesta fase de maior divisionismo e desestabilizadora que se avizinha, Além disso, é crucial retomar e concluir algumas importantes iniciativas interrompidas devido ao mandato anterior», justifica.

«Apesar das dificuldades, a nossa modalidade está hoje num patamar mais elevado do que em 2017, quando iniciamos o primeiro mandato. No entanto, os objetivos continuam claros: 1.º, Construir a Casa do Judo; 2.º, Aumentar o número de praticantes, treinadores e árbitros; 3.º, Melhorar os resultados desportivos; 4.º, Afirmar e aumentar o prestígio do Judo português internacionalmente.»

Sérgio Pina avança com recandidatura à FPJ

27 março 2024, 08:30

Sérgio Pina avança com recandidatura à FPJ

Foi através de um manifesto que o atual lder da federação, eleito há cerca de um ano, anunciou a intenção de se manter no cargo até 2028. Eleição está marcada para outubro, mas em julho serão escolhidos os delegados para a assembleia geral. Espera-se que surjam outros candidatos.

Já no final do texto, Fernandes acaba por escrever: «Reconheço que no passado recente cometi alguns erros, mas também sei que é com a vivência e experiência desses que se aprende e evolui, de modo a não os repetir. Comprometo-me a apresentar uma equipa experiente, valiosa, conhecedora e apaixonada pelo Judo, pronta para trabalhar e dialogar em conjunto com todos os Agentes, de modo a elevar a modalidade a patamares superiores, tanto no âmbito nacional quanto internacionalmente.»

Antes das eleições para os corpos sociais, em julho, a poucos dias dos Jogos Olímpicos de Paris-2024, haverá a votação para os 62 delegados que três meses depois irão decidir quem é o próximo presidente.

Vídeos

shimmer
shimmer
shimmer
shimmer