Florentino Pérez e a Superliga: «É um grande dia para a história do futebol»
Presidente do Real Madrid satisfeito com a decisão do Tribunal de Justiça da UE sobre a Superliga (IMAGO)

Florentino Pérez e a Superliga: «É um grande dia para a história do futebol»

INTERNACIONAL21.12.202311:14

Presidente do Real Madrid satisfeito com a decisão do Tribunal de Justiça da União Europeia, que dá luz verde à Superliga; dirigente dos 'merengues' garante que «a partir de hoje os clubes serão os donos do seu destino»

É uma decisão que está a agitar o mundo de futebol. Esta quinta-feira, o Tribunal de Justiça da União Europeia decidiu a favor da Superliga. Florentino Pérez, um dos acérrimos defensores da criação da prova, reage com agrado à notícia, destacando que «o futebol europeu de clubes não é nem nunca mais será um monopólio».

Em declarações aos meios oficiais do Real Madrid, o presidente dos 'blancos' enaltece que «é um dia histórico» para o futebol: «No Real Madrid, saudamos a decisão tomada pelo Tribunal de Justiça da União Europeia, responsável por garantir os nossos princípios, valores e liberdades. Nos próximos dias, estudaremos em pormenor o âmbito desta resolução, mas antecipo duas conclusões de grande significado histórico. Em primeiro lugar, que o futebol europeu de clubes não é nem nunca mais será um monopólio. E, em segundo lugar, que a partir de hoje os clubes serão os donos do seu destino. Nós, os clubes, vemos plenamente reconhecido o nosso direito de propor e promover competições europeias que modernizem o nosso desporto e atraiam adeptos de todo o mundo. Em suma, hoje a Europa das liberdades voltou a triunfar e hoje o futebol e os seus adeptos também. Diante das pressões que sofremos há mais de dois anos, a lei, a razão e a liberdade prevalecem hoje. E é por isso que o Real Madrid continuará a trabalhar para o bem do futebol.»

Pérez lembra ainda o papel do clube 'merengue' na criação da antiga Taça dos Campeões Europeus: «Tal como há quase setenta anos demos um passo fundamental na história do futebol com a criação da Taça dos Campeões Europeus, hoje temos novamente o dever e a responsabilidade de dar ao futebol europeu o novo impulso de que tanto necessita. E, para isso, continuaremos a defender um projeto moderno, plenamente compatível com as competições nacionais, aberto a todos, baseado no mérito desportivo e que faça valer efetivamente o respeito pelo fair-play financeiro. Um projeto que trará sustentabilidade económica para todos os clubes e, acima de tudo, protegerá os jogadores e empolgará os adeptos em todo o mundo.»