Casa Pia: regresso a casa bem conhecida e nova oportunidade para Lameiras
Rúben Lameiras, do Casa Pia, com o companheiro Tiago Dias nas proximidades, reage durante jogo pela Liga de futebol. Foto: Maciej Rogowski/Imago.

Casa Pia: regresso a casa bem conhecida e nova oportunidade para Lameiras

NACIONAL21.02.202414:50

Mudança de esquema tático associado a nova alteração técnica beneficiou o criativo, que regressou ao onze inicial; ambiciona vingar sob o comando de Gonçalo Santos e é candidato a defrontar o Vitória de Guimarães, que representou num passado recente

Poderá ter sido um caso de alterar para vencer ou, se preferirmos, uma situação em que as características e perfil do jogador se adequam praticamente na perfeição ao que o treinador procura. Em qualquer caso, a influência de Rúben Lameiras, que foi apresentado como reforço do Casa Pia há cerca de um mês e, poucos dias depois, se estreou oficialmente com a nova camisola, parece estar a crescer.

O novo camisola 10 dos gansos teve direito a 20 minutos na sua estreia e deixou boa impressão, muito embora a equipa não tenha evitado a derrota em casa frente ao Farense (1-3). Uma participação que lhe permitiu protagonizar uma assistência para o golo de honra apontado pelos lisboetas, apontado por Fernando Andrade.

No entanto, o criativo de 29 anos não conseguiu, sob o comando de Pedro Moreira, sustentar alicerces na titularidade, tendo apenas alinhado de início na derrocada em Alvalade (8-0 perante o Sporting), prejudicado pela forte concorrência, o pouco tempo de trabalho no novo clube e um perfil que parecia menos ajustado ao 4x4x2 que então vigorava.

O cenário parece, agora, bem diferente - a experiência acumulada pelo futebolista – 117 jogos oficiais como profissional em Portugal, divididos entre Famalicão, Desportivo de Chaves e...Vitória de Guimarães, precisamente o próximo adversário do emblema da capital, que a partir de janeiro passou a contar com os seus préstimos e poderão tirar proveito da maturidade inerente à sua idade. Lameiras pode, por conseguinte, ser considerado peça muito útil para Gonçalo Santos, como se verificou na sua partida de estreia como treinador principal dos gansos.

Gonçalo recorreu a Lameiras como extremo direito, fletindo da direita para terrenos interiores, e parece ter ganho na aposta, numa questão de maturidade que poderá servir de trunfo para o encontro que se segue para o emblema lisboeta, que fará uma viagem longa e de grau de dificuldade máximo, colocando um embate frente a uma das melhores equipas da Liga, o Vitória de Guimarães, emblema que o criativo português, formado em Inglaterra, bem conhece.

Jogar no Estádio D. Afonso Henriques exige bagagem física mas também mental, o que pode colocar Lameiras numa posição de vantagem, dada a quilometragem adquirida no seu percurso desportivo, que inclui uma passagem de duas épocas e meia pelo Vitória. Pouco mais de um mês após a sua estreia, uma participação de realce num palco tão exigente pode garantir-lhe a titularidade no clube lisboeta de forma regular, até porque a sua versatilidade permite-lhe evoluir pelas duas faixas.

A possível afirmação de Rúben Lameiras coloca, assim, em sentido concorrentes como Yuki Soma ou Tiago Dias, flanqueadores que não constituíram opção inicial na receção ao Arouca: o nipónico foi lançado como suplente utilizado e o português não integrou sequer a convocatória.

Apesar de também poder jogar nas costas - e até ao lado - do avançado - o regresso ao 3x4x3 parece ter proporcionado a entrada direta deste reforço casapiano e antever que será a direita o seu ponto de partida na caminhada pelo êxito individual em Pina Manique. A deslocação a Guimarães será uma importante prova dos nove nesse sentido.