Aos 27 anos, Coman diz que... já não vai para novo
Kingsley Coman
Foto: IMAGO

Aos 27 anos, Coman diz que... já não vai para novo

Jogador do Bayern falou na conferência de imprensa francesa

Kingsley Coman e Dayot Upamecano, ambos jogadores do Bayern, foram os escolhidos para falar pela França, dois dias antes do pontapé de saída do Europeu.

O extremo Coman foi o primeiro a intervir, ele que admitiu que, aos 27 anos... já não vai para novo. Questionado sobre o que sentia à partida para o seu terceiro Euro, o extremo afirmou que a sensação era diferente: «O Euro 2016 foi a minha primeira competição. Era tudo novo, estávamos a jogar em França. A maior parte da minha carreira ficou para trás. Queremos dar tudo porque já não vamos ter dois ou três anos disto.»

Os jogos de preparação de França não correram particularmente bem: um empate a zero com o Canadá e uma vitória melhor que a exibição com Luxemburgo não deram os melhores sinais. «Entre os jogadores, temos notado alguns problemas, que não estarão presentes durante a competição. Num particular há menos adrenalina, temos medo de nos lesionarmos, encaramos como se fosse um treino.» «Estamos serenos, vamos entrar com uma mentalidade diferente dos jogos de preparação», concluiu o extremo do Bayern.

O tempo de antena virou, depois, para Upamecano, que abordou o adversário de estreia dos gauleses, a Áustria: «A maioria dos austríacos joga na Alemanha, não vai ser fácil. Dão tudo em campo», começou por dizer, antes de recordar o selecionador e seu ex-treinador em Leipzig, Ralf Rangnick:«É um treinador muito importante para mim, trouxe-me para o Leipzig. Deu-me confiança e liberdade, tem um estilo de jogo que eu gosto. Mal posso esperar por falar com ele», adiantou.

Esta quarta-feira, houve também treino da seleção francesa, mas os sinais não foram os melhores. Além de Griezmann e Giroud terem acusado toques no tornozelo, Theo Hernández e Tchouaméni não terminaram a sessão, com queixas físicas.