«O Rúben é de ‘feelings’… Gyokeres era a peça que faltava no ataque do Sporting»
Viktor Gyokeres a celebrar um golo pelo Sporting frente ao Boavista (Imago)

«O Rúben é de ‘feelings’… Gyokeres era a peça que faltava no ataque do Sporting»

NACIONAL26.06.202418:59

Adélio Cândido, adjunto dos leões, elogia as contratações de verão e ainda Paulinho, que está de saída do clube

Viktor Gyokeres foi sem dúvida a contratação da temporada em Portugal e ajudou o Sporting a conquistar o seu segundo campeonato em quatro anos, sendo que Adélio Cândido, adjunto de Rúben Amorim, relembra a teimosia do treinador durante o longo processo da chegada do avançado.

«O Rúben é de feelings. Quando diz que quer um jogador diz é este e já nem vê mais. Quando é assim… acerta muitas vezes», começou por dizer, em entrevista ao podcast Pró-Desporto.

«Era a peça que faltava no ataque. Deu-nos coisas muito diferentes, é um jogador diferente do normal, fisicalidade e ataque à profundidade. Foi um achado do scouting, gostámos muito quando o vimos. A nossa forma de atacar melhorou mesmo muito com ele», disse, elogiando bastante o sueco.

A outra grande transferência de verão foi Hjulmand, mais uma peça fundamental no onze dos leões, tendo sido até eleito para o melhor onze do campeonato de 2023/24: «O Morten Hjulmand é um senhor 6 e foi uma grande contratação. Tem de se tirar o chapéu, eles ajudaram-nos muito.»

No entanto, Adélio fez questão de também destacar o coletivo, para além de algumas individualidades, dando o exemplo de Paulinho, que não foi sempre titular e que mesmo assim marcou muitos golos importantes durante o ano: «Tivemos um grande plantel esta época. O Paulinho foi gigante... tivemos muitas soluções. Qualquer jogador no banco podia estar a jogar facilmente.»

Para finalizar, ainda recordou quando ele e a equipa técnica chegaram a Alvalade e subiram Gonçalo Inácio e Nuno Mendes da equipa B para a A: «O Inácio não tinha muito jogo quando o Rúben o foi buscar. No nosso primeiro meio ano, cresceu mesmo muito, é um bom caso. O Nuno Mendes já era um jogador feito, o Inácio cresceu e é um jogador especial.»