Josué retirado do autocarro do Legia e detido em Alkmaar
Josué é capitão do Legia
Foto: IMAGO

Josué retirado do autocarro do Legia e detido em Alkmaar

INTERNACIONAL06.10.202310:04

Português capitão do Legia detido com um colega após jogo com o AZ; presidente do clube agredido pela polícia

O internacional português Josué foi detido, na noite passada, após o jogo entre o AZ Alkmaar e o Légia de Varsóvia, para a Liga Conferência. 

Segundo a imprensa polaca, nomeadamente o Gol24 e o canal TVP, o autocarro do Légia foi impedida pela polícia de sair do estádio e o português, que é capitão, e o companheiro de equipa, o sérvio Radovan Pankov, foram retirados do autocarro e detidos. 

Houve confusão antes do jogo com os adeptos do Legia à entrada do estádio, com a segurança e a polícia, pelo que no final o ambiente já não estava pacífico.  

A equipa seguiu para a Polónia sem os dois jogadores, que terão pernoitado na esquadra.

De acordo com relatos de jornalistas no local, houve confrontos entre a segurança e a polícia neerlandesa e elementos do Légia, sendo que o presidente do clube polaco Dariusz Mioduski, também foi agredido pelas autoridades, como é possível ver nos vídeos abaixo, tendo ficado com o telefone partido.

A agressão a Mioduski:

Não é claro o que desencadeou a situação, mas a TVP fala em fecho do recinto sem explicações, alegadamente numa tentativa de conter os adeptos do Legia, o que também cortou o acesso da equipa ao próprio autocarro. Já o jornal neerlandês Voetboalzone refere que houve altercações junto ao autocarro da equipa polaca e um segurança ficou ferido.  A polícia terá entrado no autocarro para deter Pankov, um dos alegados causadores de confusão por ter forçado o acesso ao autocarro em conflito com um segurança que ficou ferido, mas Josué usou o estatuto de capitão para intervir, o que fez com que fosse também detido.

Bartosz Zasławski, porta-voz do clube – que vai dar uma conferência de imprensa esta sexta-feira -, relatou o que aconteceu à agência polaca PAP ontem à noite, quando a comitiva se preparava para voltar: «Estamos no aeroporto, em processo de check-in. Josué e Pankov não estão conosco. Pelo que sabemos, estão na esquadra e o advogado do clube está com eles. Creio que a polícia serve para proteger, defender, não para atacar. Não há palavras para descrever o que aconteceu. Sentimos que fomos atacados.»

O Légia perdeu por 0-1.

(notícia atualizada às 10.34 horas)