Farense-FC Porto: janela de oportunidade para pressão aos dois primeiros
Estádio São Luís, em Faro

ANTEVISÃO Farense-FC Porto: janela de oportunidade para pressão aos dois primeiros

NACIONAL28.01.202408:00

Caso vença em Faro, o FC Porto fica a um ponto do Benfica e a dois do Sporting, que só jogam na segunda-feira. Algarvios tranquilos, nada têm a perder.

Com início às 18:00h, Farense e FC Porto defrontam-se no Estádio São Luís, em Faro, em encontro da 19.ª jornada da Liga. Com 24 pontos, os algarvios iniciam esta ronda num tranquilo 7.º lugar na classificação e os portistas são 3.º, a 4 pontos do Benfica (2.ª) e a 5 do líder Sporting. Em caso de vitória, o FC Porto aproxima-se e coloca pressão nos dois emblemas de Lisboa, que só jogam na segunda-feira. O encontro terá como árbitro João Pinheiro (AF Braga), que terá como assistentes Bruno Jesus e Luciano Maia. António Nobre (AF Leiria) vai estar no VAR e Francisco Pereira (AF Santarém) no AVAR.

De 49 jogos é feito o histórico de confrontos entre os dois clubes na 1.ª liga, com clara vantagem do FC Porto: 38 vitórias, seis empates e cinco triunfos do Farense. Nesse domínio portista, no São Luís, o FC Porto alcançou 15 vitórias em 27 jogos, contra seis triunfos do Farense. 

Essa supremacia tem sido mais evidente nos últimos confrontos, com o FC Porto invicto – e a marcar sempre golos - há 20 jogos nos duelos com os ‘leões de Faro’, tendo mesmo vencido nas últimas sete vezes em que os dois clubes se encontraram. A última vez que o Farense não perdeu com o emblema portista foi a 29 de abril de 2000 (1999/2000), num empate a três golos em Faro: Marinescu (5’ e 44’) e Everton (81’) apontaram os golos da equipa algarvia, treinada pelo espanhol Ismael Díaz, e Mário Jardel (16’ e 26’) e Drulovic (31), marcaram os do FC Porto, orientado por Fernando Santos. E, para encontrarmos a última vitória do Farense, temos que recuar mais meia dúzia de anos, até 9 de janeiro de 1994 (1993/1994), com um golo solitário de Stevanovic a cinco minutos do final a ditar o resultado. Paco Fortes (Farense) e Tomislav Ivic (FC Porto), eram os treinadores.

FARENSE

Nos quatro últimos jogos, o Farense registou duas vitórias e duas derrotas. Em Rio Maior, no duelo com o Casa Pia, José Mota deixou de lado o 4x3x3 com que tem arrumado a sua equipa na maioria dos jogos e mudou para 4x2x3x1, com um duplo-pivot (Cláudio Falcão e Facundo Cáseres) com características defensivas, conferindo maior proteção à defesa. O bom resultado obtido, no triunfo e na maior consistência defensiva, deixa antever que o sistema será para manter, na receção ao FC Porto, que também tem atuado de forma idêntica, nos últimos jogos. Na formação do onze, o treinador tem uma base que pouco altera e não terá muitas dúvidas. A única, deverá estar no flanco direito, entre o virtuosismo de Belloumi ou a capacidade de explosão de Elves Baldé – que foi titular com o Casa Pia. Rui Costa é caso isolado no departamento médico, depois da recuperação de Zé Luís, que já tem trabalhado integrado e sem limitações, podendo mesmo voltar a ser convocado, mais de dois meses depois da lesão na clavícula direita.

Sistema: 4x3x3

Equipa provável: Ricardo Velho; Pastor, Gonçalo Silva, Zach Muscat e Talocha; Cláudio Falcão e Cáseres; Belloumi, Mattheus Oliveira e Marco Matias; Bruno Duarte

Lesionados ou em dúvida: Rui Costa

Castigado: nada a registar

Em destaque: Bruno Duarte

Com cinco golos e duas assistências, o ponta-de-lança brasileiro de 27 anos é o jogador com mais influência na finalização da equipa algarvia, no campeonato, acrescentando mais um remate certeiro na Taça de Portugal. No jogo com o Casa Pia, assistiu Marco Matias no primeiro e marcou o terceiro na vitória (3-1) do Farense. É a referência ofensiva dos ‘leões de Faro’ na área e tem sido um dos jogadores imprescindíveis para o treinador José Mota.

José Mota, treinador do Farense: «O FC Porto atravessa um bom momento, com vitórias e boas exibições. A mudança no modelo de jogo tem sido positiva. Temos que estar no máximo da nossa concentração, percebermos que é uma equipa muito forte e que terá a incitativa do jogo, porque o faz em todos os estádios. Pretendemos dividir o jogo, ser ambiciosos e na nossa casa fazer aquilo que temos feito ao longo do campeonato: ser uma equipa muito organizada, que luta sempre pelos três pontos. E percebermos que temos as nossas armas. O FC Porto luta por objetivos maiores, ser campeão, e nós, com a nossa ambição, queremos fazer um campeonato digno. Este é um jogo em que queremos ter uma boa prestação e contrariarmos a força e o poderio do FC Porto.» 

FC PORTO

Nos últimos seis jogos – desde a derrota com o Sporting, a 18 de dezembro – o FC Porto venceu cinco (três para o campeonato e dois nas taças, da Liga e de Portugal) e empatou no Bessa com o Boavista, num crescimento de resultados e também visível na qualidade de jogo, principalmente nos últimos três (Estoril, para a Taça de Portugal e SC Braga e Moreirense, no campeonato), em que não sofreu golos. A melhoria defensiva é visível, com apenas um golo sofrido, no empate 1-1 com o Boavista, nos últimos cinco últimos jogos. Com os cónegos alcançou a primeira vitória por cinco golos de diferença na nesta temporada e o jogo confirmou a veia goleadora de Evanilson, que leva três jogos consecutivos a faturar. Hoje, em Faro, o FC Porto terá um bom teste para aferir a subida de forma e tentar voltar a vencer fora do Dragão no campeonato, o que não aconteceu nas duas últimas saídas. Nico González deverá voltar ao onze para o lugar de Eustáquio, que esteve com gripe, mas foi convocado, ao contrário de Grujic, que não recuperou da síndrome gripal. Sérgio Conceição encontrou estabilidade no onze e essa será a única alteração à equipa que iniciou o encontro com o Moreirense.

Sistema: 4x2x3x1

Equipa provável: Diogo Costa; João Mário, Pepe, Fábio Cardoso e Wendel; Alan Varela e Nico González; Francisco Conceição, Pepê e Galeno; Evanilson

Lesionados ou em dúvida: Gonçalo Borges, Marcano e Grujic (gripe)

Castigados: nada a registar

Ausentes (nas seleções): Taremi (Irão, Taça Asiática) e Zaidu (Nigéria, CAN)

Em destaque: Alan Varela

Cada vez mais adaptado ao futebol português, o médio argentino tem subido gradualmente de produção e apresenta-se em grande forma. É o pêndulo do meio-campo dos dragões, um jogador ‘à Porto’, com muita garra e ambição, que não dá uma bola como perdida, na linha de outros jogadores com essas características e que deixaram saudades como, no caso mais recente, Uribe, com quem tem muitas semelhanças nesse ponto. Na goleada (5-0) ao Moreirense, adornou a grande exibição com o primeiro golo que marcou ao serviço do FC Porto e também com estreia nas assistências, e logo com duas.

Sérgio Conceição, treinador do FC Porto: «Espera-nos uma deslocação difícil, dentro do histórico que é jogar no São Luís. Este ano, penso que o Farense conseguiu, depois de alguns anos afastado da Liga, uma consistência muito interessante e uma equipa equilibrada, difícil de defrontar. Já o estádio, por si só, é difícil. O José Mota tem feito um trabalho extraordinário, tem conseguido ao longo do campeonato fazer evoluir a equipa de forma muito interessante. Espera-nos um jogo difícil e somos nós que temos que descobrir o que fazer para trazermos os três pontos. Eustáquio e Grujic tiveram gripe durante a semana, vamos ver o estado deles e decidir se os levamos ou não.»