Estrela da Amadora: Régis regressou em força e candidata-se ao onze
Régis N'Do, do Estrela da Amadora (à direita), disputa a posse de bola com Tiago Mesquita, do Académico de Viseu (à esquerda), em jogo pela Liga 2 de futebol. Foto: Gil Peres/Imago.

Estrela da Amadora: Régis regressou em força e candidata-se ao onze

NACIONAL06.12.202322:34

Extremo maliano regressou em Vila do Conde após ausência de mais de dois meses por lesão e teve impacto positivo na partida, concorrendo agora por um lugar nas escolhas iniciais na receção dos tricolores ao Boavista

Nem tudo são más notícias no que diz respeito ao departamento médico do Estrela da Amadora, que tem contado com uma invulgar quantidade de clientes – nos últimos dias ascendeu a um total de nove -, que ao mesmo tempo vem libertando um ou outro elemento cuja utilidade será tremenda para Sérgio Vieira, que tem orientado um plantel limitado na quantidade de opções mas nem por isso tem deixado de lutar por resultados.

Foi, por isso, com satisfação que o técnico dos tricolores encarou o regresso de Régis N’Do, que se encontrava fora das opções há mais de dois meses. Nos dias seguintes à deslocação ao reduto do Desportivo de Chaves, que decorreu a 24 de setembro, o maliano sofreu uma lesão em treino, numa habitual pancada em situação de jogo cuja recuperação se esperava que fosse rápida, tendo sido inicialmente avaliada como um traumatismo.

No entanto, o problema revelou-se mais moroso – Régis sofreu uma torção no pé esquerdo e a área afetada terá incluído o nervo, tornando o problema mais sério e a recuperação mais sensível e a exigir mais tempo de recuperação ao jogador. Tal como os vários companheiros de equipa que recuperam, ou entretanto já recuperaram de problemas físicos, a política aplicada foi a de não apressar o restabelecimento de qualquer um dos ausentes.

Régis recuperou na totalidade e surgiu em pleno no passado sábado na deslocação ao reduto do Rio Ave, tendo impressionado pela entrada em campo solta que protagonizou, trazendo impacto positivo ao futebol dos tricolores. O camisola 7 entrou em campo aos 73 minutos, surgiu em boas combinações com os seus companheiros e foi fundamental para a obtenção do empate, com o passe que libertou Hevertton pela direita.

O ala cruzou, em seguida, para o interior da área e o resto é história: Josué desviou para a própria baliza e o Estrela arrecadou um ponto como visitante em circunstâncias especiais, tendo em conta o elevado número de lesionados que afetava as escolhas do treinador. Uma situação que, pelo menos atendendo às alas ofensivas, mudará de figura na receção ao Boavista, marcada para este domingo.

A boa resposta de Régis torna-o candidato a conquistar um lugar no onze…mas ainda haverá Léo Jabá, titular indiscutível na equipa tricolor que apenas falhou a deslocação a Vila do Conde por se encontrar a cumprir castigo em virtude de ter recebido ordem de expulsão direta no encontro anterior, em Vizela, pela Taça de Portugal. Assim, para a receção aos axadrezados o Estrela terá quatro extremos em luta direta por dois lugares no onze – Régis e Jabá pressionam Ronald e André Luiz, titulares na última partida…