Estrela da Amadora - Arouca: perante as adversidades, eles costumam sair...a sorrir
O setor respeitante à claque afeta ao Estrela da Amadora, a Magia Tricolor, em jogo pela Liga de futebol. Foto: Maciej Rogowski/Imago.

Antevisão Estrela da Amadora - Arouca: perante as adversidades, eles costumam sair...a sorrir

NACIONAL28.12.202308:00

Inédito duelo retomará a 15.ª jornada da Liga; amadorenses têm enfrentado problemas com lesões e arouquenses uma mudança de treinador, ambos com boa resposta

Duas equipas que têm sido colocadas perante adversidades, mas que perante as mesmas têm saído a sorrir, irão defrontar-se esta quinta-feira no encontro que marcará a retoma da Liga após a pausa para a celebração do Natal – após a Consoada, Estrela da Amadora e Arouca esperam regressar à ação com um triunfo para dar seguimento aos seus bons momentos desportivos.

O Estrela vive uma situação tranquila na Liga – não perde há três partidas e na último jogo disputado alcançou uma igualdade no Algarve num contexto que lhe era claramente desfavorável, dada a quantidade de ausências que o limitava, em especial na defesa. Frente ao Farense, os tricolores apenas apresentavam um central de raiz, Erivaldo Almeida, a quem se juntaram dois elementos improvisados, nomeadamente os laterais Hevertton e Shinga, e no final garantiram um empate a zero. 

Já o Arouca ainda não perdeu sob o comando do seu novo treinador, Daniel Sousa, o que equivale a dizer que o emblema da Serra de Freita cumpriu os últimos quatro encontros sem conhecer o sabor da derrota. Uma sequência iniciada na Taça de Portugal, através de igualdade e desempate por grandes penalidades perante o Boavista, e à qual deu continuidade com um triunfo, novamente sobre os axadrezados, uma igualdade com o Rio Ave e a mais recente vitória, sobre o Gil Vicente.

Aconteça o que acontecer no duelo que se irá realizar na Reboleira, irá fazer-se história. Afinal, não existe qualquer histórico de confrontos entre os dois conjuntos, facilmente justificável pelo facto de o passado de Estrela e Arouca ser inverso: quando os amadorenses antes militavam no primeiro escalão, os arouquenses ainda estavam para iniciar a sua fabulosa viagem de ascensão. Quando o Arouca chegou à Liga, já o Estrela havia declarado insolvência para depois reiniciar o seu percurso a partir das distritais e, mais tarde, na conhecida reativação da sua SAD, resultante de uma fusão com o Sintra Football aprovada em Assembleia-Geral.

O vencedor do duelo poderá, assim, redigir a primeira página de um embate que terá continuidade na segunda volta, nessa altura a Norte, e que Estrela e Arouca pretenderão reeditar por muitas mais ocasiões. Antes de tudo, porque tal significaria que os dois conjuntos assegurariam a manutenção na Liga, como é desejo de ambas as instituições.

Estrela da Amadora

Sistema: 3x4x3

Onze provável: Wagner Dida, Hevertton Santos, Kialonda Gaspar e Erivaldo Almeida; Jean Felipe, Léo Cordeiro, Vitó e João Reis; Léo Jabá, Ronald e Ronaldo Tavares.

Lesionados: Bruno Brígido, António Filipe, Johnstone Omurwa, Pedro Mendes, Mansur, Miguel Lopes e Aloísio Souza.

Em dúvida: Pedro Sá.

Figura: Ronald. Num Estrela que, por força das lesões, se tem visto sistematicamente obrigado a alterar o seu onze inicial e muitas vezes em todos os seus setores, nas alas ofensivas este brasileiro tem vendido saúde, tendo marcado presença em cada uma das 14 jornadas realizadas pelos tricolores (ficou a 104 minutos de se juntar ao lote de totalistas). Em parceria com Léo Jabá, provoca o pânico na transição em função da sua velocidade e assim esperará ferir a defensiva adversária, garantindo mais um sucesso para o histórico clube da Reboleira.

Ronald, do Estrela da Amadora, e Zolotic, do Casa Pia, disputam a bola na área sob a atenção do guarda-redes Ricardo Batista. Foto: Maciej Rogowski/Imago.

O que disse Sérgio Vieira na antevisão à partida: «O espírito de família e união é que permite que os que estiverem sejam jogadores que vão dar tudo e jogarem como uma verdadeira equipa e família, para que os adeptos se sintam felizes no nosso último jogo do ano em casa».

Arouca

 

Sistema: 4x3x3.

Onze provável: Ignacio de Arruabarrena, Tiago Esgaio, Javi Montero, Nino Galovic e Weverson Costa; Eboué Kouassi, Morlaye Sylla e David Simão; Cristo González, Jason Remeseiro e Rafa Mujica.

Lesionados: Rafael Fernandes, Mateus Quaresma e Oriol Busquets.

Figura: Ignacio de Arruabarrena. Iniciou a época referenciado como possibilidade para clubes de nomeada – o Benfica foi a possibilidade mais referida – e o uruguaio continua a dar mostras do seu valor apesar da época difícil que o Arouca atravessa, envolvido na luta pela manutenção. É totalista da Liga e ninguém questiona esse estatuto: mantém a sua baliza inviolada há mais de um jogo e meio, composto pela totalidade da receção ao Gil Vicente (vitória por 3-0) e os últimos 62 minutos do empate em casa perante o Rio Ave: Emmanuel Boateng foi o último a conseguir a proeza de o desfeitear. Terá o Estrela um opositor à sua altura?

Arruabarrena com a bola em seu poder em jogo do Arouca pela Liga Conferência em futebol. Foto: IMAGO

O que disse Daniel Sousa na antevisão à partida: «Os jogadores são os mesmos. Mudámos um bocadinho porque há sempre alguma mudança, qualquer coisa que se muda, independentemente de se estar a fazer bem ou mal, não é isso que está em causa. O que vinha a ser feito era bom».