Destaques do Chaves: o ouro estava no banco

Destaques do Chaves: o ouro estava no banco

NACIONAL29.12.202323:49

Benny e Jô foram apostas antes do golo portista e os dois criaram as oportunidades mais flagrantes dos flavienses

O Chaves veio ao Dragão sem espartilhos táticos, compactado num 4x3x3 sólido e unido, com Bruno Rodrigues e Sandro Cruz em parceria no eixo da defesa, Langa na esquerda, a fechar bem o seu espaço, e João Correia a fechar a porta a Wendell e também a Pepê. Foi o lateral quem, em cima da linha, tirou o golo ao brasileiro perto do intervalo. No ataque, e por duas vezes, Héctor Hernández teve espaço de remate, o primeiro prensado e sem perigo, o segundo, após centro venenoso de Kelechi, a criar arrepios no Dragão. Meio-campo operário, onde se destacou a dinâmica defensiva de Guima. Antes até do golo do FC Porto, Moreno mexeu e foi Benny a criar a oportunidade mais flagrante do Chaves, de cabeça, com a bola a bater no ferro da baliza de Diogo Costa, que ficou petrificado, para, no último suspiro, Jô Batista convocar o 99 portista para grande defesa! Destaque ainda para Rodrigo Moura, com intervenções de grande nível, primeiro aos pés de Franco e depois a deter míssil de João Mendes.

A figura: Benny

Tal como Jô, saltou do banco para criar uma envolvente atacante bem diferente para o Chaves, que se tornou muito mais atrevido com as unidades que Moreno lançou antes e depois do golo de João Mário. Benny foi uma delas, a criar desconforto aos centrais e a desorganizar a estrutura defensiva dos dragões. Só o ferro lhe tirou o golo!

As notas dos jogadores do Chaves: Rodrigo Moura (7), Joao Correia (6), Bruno Rodrigues (6), Sandro Cruz (6), Langa (5), Morim (6), Guima (6), Kelechi (6), Sanca (5), Héctor Hernández (6), Rúben Ribeiro (6), Benny (7), Jô Batista (7), Paulo Vítor (6), Cafu Phete (5), Carraça (5)