Destaques do Casa Pia: Não deu para piar, só mesmo para penar...

Destaques do Casa Pia: Não deu para piar, só mesmo para penar...

NACIONAL29.01.202423:05

Noite de terror dos gansos, que falharam em toda a linha, entregando em poucos minutos a alma ao criador

A figura: Clayton (5)

Descobrir uma figura numa equipa que sofreu oito golos é missão ingrata. Apesar de tudo, Clayton foi dos mais inconformados e o único a levar promessa de perigo à baliza de Adán. Dois disparos sem muita pólvora nem muita convicção, é certo, mas consegui nessas situações escapar da apertada vigilância do trio de centrais do Sporting.

Cinco golos sofridos nos primeiros 45 minutos, e por incrível que pareça, Ricardo Batista ainda evitou maior descalabro dos gansos nesse período com defesa a um canto direto de Edwards e intervenção de classe num cabeceamento de Hjulmand. Na 2.ª parte novo voo a desviar para a barra bola cabeceada por Coates para no canto… sofrer o sexto golo. Tirou o terceiro tento a Gyokeres, mas oito golos é dose. João Nunes, a cometer erros e o penálti sobre Gyokeres, saiu cedo para dar o lugar a Fernando Varela, quando já estava 4-0, mas o leão não desacelerou e antes do descanso atirou Tchamba, Lelo e Larrazábal para nova visita ao inferno. Defensivamente, os gansos expuseram-se logo no primeiro momento de relativo perigo do Sporting, ao deixarem Coates sozinho na área para o 1-0. Isolado no ataque, Clayton ainda fez uma primeira ameaça, aos 13’ e depois outra aos 50’, onde podia ter feito melhor. Ainda assim, foi dos que enfrentaram com coragem a tempestade. Pablo foi engolido pela voracidade defensiva da equipa de Rúben Amorim e o meio-campo, com Beni e Ângelo Neto em parceria no meio, Lameiras e Tiago Dias mais abertos, foi inoperante. Uma noite de terror. 

As notas dos jogadores do Casa Pia: Ricardo Batista (5), Larrazábal (3), João Nunes (2), Tchamba (2), Leonardo Lelo (3), Lameiras (3), Ângelo Neto (2), Beni (3), Tiago Dias (2), Pablo (3), Clayton (5), Fernando Varela (4), Yuki Soma (4), Fernando Andrade (3), André Geraldes (-) e Rafael Brito (-)