Destaques do Benfica: Tengstedt resolve e nem precisa de marcar
Tengstedt esteve em evidência no ataque do Benfica, Foto MIGUEL NUNES/ASF

Destaques do Benfica: Tengstedt resolve e nem precisa de marcar

NACIONAL25.11.202323:42

Ponta de lança esteve na origem de um autogolo e provocou expulsão de Otávio, desequilibrando a partida; Trubin e Morato também em evidência

O melhor em campo: Tengstedt (7)

Depois do dérbi, volta a decidir, desta feita sem precisar de marcar. O ponta de lança dinamarquês destruiu basicamente a dupla de centrais do Famalicão, primeiro com um cruzamento de qualidade suspeita, mas que acabou por condenar Riccieli ao autogolo, depois, então sim, com todo o mérito procurando escapar em velocidade em direção à área, convidando Otávio a fazer o que fez: entrada de risco, falta, cartão vermelho direto. Mas Tengstedt foi mais do que isso: foi sempre voluntarioso, por um par de vezes esteve perto do golo, sendo travado por defesa de Luiz Júnior e interceções dos centrais, soube fugir à marcação, tabelar, reter a bola quando necessário. Está a justificar a aposta.

(7) Trubin  — Corte oportuno de Morato ao minuto 4 acabou por ser reforçado pela rápida mancha do ucraniano, que resolveu com qualidade dois problemas colocados por Puma Rodríguez, aos 13’ e aos 29’.Antes do intervalo ainda fez bela mancha, plena de coragem, perante Topic, a pouco mais de um metro da sua linha de golo, impedindo o 0-1. Segunda parte muito mais descansada, encaixando apenas bolas fáceis de Aranda, ao minuto 79, e Cádiz, aos 90+3’.

(5) Aursnes — Quase marcava aos 10’, disparando à entrada da área, onde apareceu de surpresa, bola travada por boa defesa de Luiz Júnior.Problemas defensivos evidentes perante a velocidade de Francisco Moura e Puma Rodríguez foram-se atenuando à medida que o relógio foi avançando e ao minuto 59 fez, finalmente, uma boa incursão à área adversária, com cruzamento atrasado para Rafa. Esteve no início, ainda em meio campo defensivo, do lance do 1-0.

(6) António Silva — Começou por sobressair ofensivamente, primeiro com cabeçada que levou a bola a sair muito por cima da trave (minuto 9), depois, aos 24’, através de disparo forte mas ao lado. Esteve sempre em alerta na primeira parte face à presença de Francisco Moura e Puma Rodríguez na sua zona de ação. Segunda parte bem mais descansada, perante desgaste dos adversários. 

(5) Otamendi — Foi ultrapassado por Francisco Moura sem dificuldade, logo ao minuto 4, e ficou em sentido, pouco arriscando. Aos 46’, porém, subiu à área famalicense e atirou de cabeça, mais em jeito do que em força, fazendo a bola passar bem perto do poste esquerdo.

(7) Morato — Que corte ao minuto 4! Otamendi foi ultrapassado em habilidade e velocidade por FranciscoMoura e o brasileiro fez dobra monumental, impedindo passe de morte. Competente em termos defensivos e corajoso no momento ofensivo. Um central transformado em lateral-esquerdo visto a participar em ações atacantes com qualidade.

(6) Florentino — Defendeu e atacou com sobriedade e esteve no lance do 1-0, lançando Tengstedt.

(6) João Neves — Melhor segunda parte do que primeira, mas não tão limpo no passe e no drible como tem sido habitual. Foi, no entanto, subindo de produçãoà medida das necessidades da equipa.

(6) Di María — Três passes longos falhados ficaram gravados na memória de quem viu a partida, mas também livres marcados com muita qualidade e dois cruzamentos muito bem medidos, um deles com o pé direito. O drible também funcionou um par de vezes e ao minuto 16 fez um passe de rutura espetacular a isolar Tengstedt. Ainda encontrou também a oposição de Luiz Júnior, após disparo de pé direito.

(6) Rafa — Belo cruzamento aos 23’, aos 59’ errou o gesto técnico em plena área e um lance verdadeiramente perigoso foi transformado em pontapé de baliza. Não estava entre os melhores, mas quando recebeu bola de João Mário do lado esquerdo e construiu com qualidade o 2-0 tudo mudou. Golo bonito.

(5) João Mário — Belo passe atrasado para Aursnes, aos 10’, assistência simples para Rafa fazer o 2-0 .De relevante foi praticamente só isso.

(6) Kokçu — Regresso à ação aproximadamente um mês depois do último jogo, mas bom aquecimento. Integrou-se bem, foi visto a rematar na área e se Luiz Júnior não estivesse atento talvez marcasse um canto direto.

(4) Musa — Entrou aos 79’. Muita 'fome', mas sem efeito prático.

(4) Chiquinho — Entrou aos 84’ e não sobressaiu. 

(5) Tiago Gouveia — Entrou aos 84’, cheio de vontade. Depressa se pôs a caminho da área e por duas vezes viu remates intercetados. Um deles poderia ter sido passe para Musa.

(5) Tomás Araújo — Entrou tarde, mas a tempo de aproveitar para dar boa imagem. Aos 90+2, no papel de lateral-direito, ele que entrou para lateral-esquerdo, fez cruzamento de qualidade, quase encontrando Musa.

Vídeos

shimmer
shimmer
shimmer
shimmer