Águia quer crescer sem dor de Champions
Ivo Casas promete que uma equipa focada, apesar de jogar sem possibilidade de seguir em frente na Champions (SL Benfica)

Águia quer crescer sem dor de Champions

VOLEIBOL08.01.202422:00

Ivo Casas reconhece que derrotas na competição custam… mas servem para a equipa se desenvolver; Berlim vai obrigar jogadores a transcenderem-se

O Benfica chega à 5.ª jornada da Liga dos Campeões sem hipótese de seguir em frente na prova, mas nem por isso a motivação vai estar em baixo. Pelo menos essa é a garantia dada por Ivo Casas, ontem, em declarações aos jornalistas.

«O Berlim é uma equipa que está na luta pela qualificação, como estão os nossos três adversários. Por isso, não esperamos equipas relaxadas nos jogos que nos faltam. Eles vão querer vir aqui buscar os três pontos e nós vamos procurar fazer-lhes a vida negra, dificultar-lhes o jogo e tentar ganhar. Esperamos dificuldades porque esta equipa ganhou ao Halkbank, um resultado um pouco inesperado, mas que mostra que eles têm uma grande equipa e estão a fazer uma bela campanha», começou por dizer, sobre o jogo de quarta-feira, no Pavilhão da Luz.

Apesar de somar quatro derrotas e apenas ter conquistado um set nas primeiras quatro rondas, os desaires encarnados têm sido marcados pelo equilíbrio dos parciais em quase todas as partidas. O líbero reconhece por isso que a equipa precisa de melhorar nos momentos decisivos. 

«Tirando o jogo frente ao Halkbank, os outros foram perdidos nos detalhes em todos os sets. Na ponta final do set, temos de conseguir fazer com que caia para nós em vez de cair para o outro lado. Precisamos de mais tranquilidade e discernimento. Mas isto ainda não acabou e temos dois jogos para provar que podemos causar dificuldades a estas equipas e até ganhar um jogo, ou pelo menos ganhar mais sets», aponta.

«Melhor do que Gaspar? Vai ser tema no balneário!»

Quando entrar em campo na quarta-feira, Ivo Casas fará o 80.º jogo com a camisola do Benfica nas competições europeias, ele que já é o atleta com mais presenças pelas águias, à frente do já retirado André Lopes (75) e de Hugo Gaspar (69). «Não fazia a mínima ideia do número de jogos, mas é ótimo. É sinal de longevidade no clube. É um indicador de que o clube está satisfeito com o meu trabalho. E se tudo continuar como até aqui, ainda terei mais uns jogos e essa não será a marca final nas competições europeias», atirou, sorridente, deixando ainda uma garantia: «Se ultrapassei o Gaspar isso já vai ser tema no balneário».

Ivo Casas vai chegar aos 80 jogos pelo Benfica nas competições europeias... mais do que qualquer outra

A equipa de Marcel Matz, recorde-se, ganhou todos os jogos no campeonato até ao momento, mas a Liga dos Campeões tem trazido os encarnados à terra. Casas, porém, assegura que é nestes jogos que o Benfica cresce. 

«As derrotas na Liga dos Campeões são dores de crescimento. É sinal de que a equipa está a crescer. Porque tenho a certeza absoluta que estamos a crescer com estes jogos, independentemente dos resultados, que obviamente não foram os melhores. Já sabíamos que este era um grupo extremamente equilibrado, em que todas as equipas iam lutar pelo apuramento para a fase seguinte. Estes adversários fazem-nos jogar a um nível que não é a realidade do nosso campeonato, infelizmente. Temos de nos transcender sempre e ir além das nossas limitações para nos bater de igual para igual contra alguns dos melhores jogadores do mundo de voleibol», finaliza.