Van der Poel cada vez mais longe de Van Aert
Mathieu Van der Poel faz 'nove em nove' esta temporada de ciclocrosse

Van der Poel cada vez mais longe de Van Aert

CICLISMO04.01.202418:52

O neerlandês venceu a nona corrida em nove esta temporada de ciclocrosse e a reedição de duelos épicos com o arquirrival belga nesta disciplina do ciclismo é cada vez mais uma miragem

A esperança de que a diferença abissal entre as duas grandes estrelas do ciclocrosse mundial, Mathieu van der Poel e Wout van Aert, diminuiria com o decurso da temporada está a desvanecer, e assiste-se ao oposto. 

O neerlandês da Alpecin-Deceuninck está ainda mais hegemónico do que nas primeiras corridas entre ambos esta época e o belga da Visma-Lease a Bike cada vez menos capaz de encurtar distâncias, não se antevendo nenhum dos apaixonantes e tão ansiados duelos.

Depois de ter vencido a mais recente ronda do Troféu X2O, em Baal, na Bélgica, no dia de janeiro, com 1.55 minutos de vantagem sobre o arquirrival, Van der Poel impôs-se por 1.43m esta quinta-feira, em prova da mesma competição disputada em Koksijde, naquele país.

E se Van Aert tinha sido segundo classificado há três dias, agora não foi além do degrau mais baixo do pódio, após ter sido superado por outro neerlandês, Pim Ronhaar (Baloise-Trek Lions).

Imperturbável no circuito arenoso de Koksijde, onde se correu a 5.ª ronda do Troféu X2O, Mathieu van der Poel fez mais uma cavalgada solitária para a vitória, a sua nona em nove provas esta temporada. Instalado no controlo da corrida ainda estava percorrida apenas meia volta ao circuito belga, a estrela da equipa Alpecin-Deceuninck impôs-se com autoridade aos rivais, apesar da resistência durante o primeiro quarto de hora do seu jovem compatriota Pim Ronhaar (Baloise-Trek Lions), que foi o melhor dos ‘outros’ esta quinta-feira.

Em segundo lugar, o vencedor de duas provas da Taça do Mundo esta temporada (Termonde e Dublin), concedeu 1.20 minutos a Van der Poel, que mais uma vez geriu a seu bel-prazer a corrida.

Na sua penúltima prova de ciclocrosse da temporada, Van Aert – resta-lhe a Taça do Mundial de Benidorm (21 de janeiro) – limitou-se a lutar pelo pódio, ultrapassando Lars van der Haar (Baloise-Trek Lions) e Gianni Vermeersch (Alpecin-Deceuninck), e apenas ameaçando, na fase final, o segundo lugar de Pim Ronhaar. Sem êxito.

Quarto em Koksijde, Van der Haar reforça a liderança da classificação geral do Troféu X2O, em que tem 3.33 minutos de vantagem sobre… Van der Poel, segundo da tabela mesmo falhando as duas primeiras rondas, em novembro. Dado o seu domínio e a faltarem três etapas por disputar na competição, o pentacampeão mundial seria o principal favorito ao título, mas MVDP só fará mais uma prova do X2O, em Hamme, no dia 27 de janeiro, o que lhe custará uma penalidade de 10 minutos. O primeiro rival ‘real’ de Van der Haar à vitória final é o… terceiro posicionado, o britânico Cameron Mason (Cyclocross Reds), mas já a 4.24m do líder. Ausente nas duas últimas rondas, Eli Iserbyt (Pauwels Sauzen-Bingoal) é o quarto com 4.45m.

«Ainda posso melhorar até ao Campeonato Mundial [4 de fevereiro, em Tabor, Rep. Checa]. Treinei muito bem para esta temporada de ciclocrosse, mas desde Herentals tenho treinado pouco. Depois de Zonhoven [no próximo domingo, para a Taça do Mundo], voltarei a Espanha para finalizar a preparação», declarou Van der Poel.

Por sua vez, Wout van Aert já se conformou. «Não tentei seguir Van der Poel. Excedi-me após a partida, talvez tenha feito demasiado esforço na primeira passagem pela areia, levei a frequência cardíaca muito acima. Até agora não treinei com intensidade suficiente para corridas como estas», justifica-se o belga, que em breve partirá para estágio de estrada em Espanha com a Visma, antes de terminar a temporada de ciclocrosse no dia 21 de janeiro em Benidorm.

Incapaz de lutar com Van der Poel neste inverno, o tricampeão mundial prefere destacar que se divertiu. «Já tive pernas muito melhores no ciclocrosse, tive de me adaptar a esta realidade. Ainda gostaria de voltar um dia a ganhar em Heusden-Zolder. Para já, foi bom rever os meus fãs», conclui Wout van Aert.