Ricardo Horta volta ao meio para tentar regresso aos triunfos
Ricardo Horta

Ricardo Horta volta ao meio para tentar regresso aos triunfos

NACIONAL16.01.202418:10

Internacional português no vértice mais ofensivo do trio de médios; reforço do meio-campo não se traduziu em resultados positivos; vitória em Famalicão essencial para travar ciclo negativo

O SC Braga joga já na quinta-feira a 18.ª jornada - primeira da 2.ª volta - às 18.45 horas, com a visita ao reduto do Famalicão (equipa que venceu na Pedreira, por 2-1) e após três partidas sem ganhar (um empate e duas derrotas) impõe-se um regresso aos triunfos, de forma a não perder mais terreno para os três da frente.

Com isso em conta, Artur Jorge pode voltar à fórmula de maior sucesso da presente temporada, ou seja, colocando Ricardo Horta como o terceiro médio, sendo o mais ofensivo e que se aproxima do ponta de lança pelo centro do terreno. Até porque, o reforço no meio-campo para encontros de elevada exigência não se traduziu em resultados. A inclusão de Vítor Carvalho como médio mais defensivo, deixando Moutinho mais livre e Zalazar no tal papel que vinha sendo de Horta falhou.

A própria influência do capitão diminuiu bastante e passa pela maior seca (golos e assistências) da época, pois somando o encontro com o Casa Pia, Ricardo Horta não marca, nem assiste há quatro partidas. O máximo anterior foi de três jogos, nos períodos em que os bracarenses defrontaram o Rebordosa (só jogou dez minutos), Real Madrid, em casa, e Gil Vicente, fora. Assim como na deslocação a Nápoles, a Vizela e na receção ao Benfica.

Assim, o treinador, de 52 anos, mesmo não tendo Bruma e Al Musrati deve efetuar mudanças procurando os três pontos. Com Ricardo Horta de volta ao centro do terreno, Vítor Carvalho deve sair, mantendo-se Moutinho e Zalazar - médio uruguaio também pode ir para banco, entrando o mais novo dos Horta (André) ou Pizzi. Isto também implica alterações no ataque e considerando que Abel Ruiz volta a ser titular, pode ter a companhia de Álvaro Djaló, mas pela esquerda, e de Rony Lopes pela direita.

No entanto, procurando maior mobilidade e dando algum descanso a Ruiz que continua sem conseguir encontrar-se com os golos, os quatro jogadores mais ofensivos no sistema de 4x2x3x1 podem ser Pizzi (ou oportunidade a Roger Fernandes) pela esquerda, Ricardo Horta pelo meio, Rony Lopes na direita e Djaló como ponta de lança.