Premier League: Tottenham e Arsenal à procura de esquecer os desaires
Mikel Arteta, treinador do Arsenal. Foto IMAGO/Fotosport

ANTEVISÃO Premier League: Tottenham e Arsenal à procura de esquecer os desaires

INTERNACIONAL31.12.202312:02

Ambas as equipas querem acabar o ano de maneira positiva, após terem perdido na passada jornada

No último dia do ano, o Arsenal visita o Fulham e o Tottenham recebe o Bournemouth.

Na jornada que antecedeu este dérbi de Londres, ambas as equipas foram derrotadas. O Fulham, de Marco Silva e João Palhinha, perdeu na visita ao Bournemouth, o Arsenal foi surpreendido na receção ao West Ham. Para o técnico português dos cottagers, este desaire em nada afeta os objetivos ou as ambições da equipa: «Ainda há muito por que lutar, temos que continuar a melhorar e a exigir mais de nós mesmos. Sou o primeiro a exigir de todos ao meu redor, bem como dos jogadores.»

Esta não é a melhor fase para o Fulham, que leva três derrotas seguidas na Premier League, ainda que, pelo meio, se tenha apurado para as meias-finais da Taça da Liga. Willian está em dúvida e Adama Traoré está fora das contas, mas o onze inicial deverá apresentar-se na máxima força. Bem necessitará, sobretudo do músculo no meio-campo, para enfrentar o jogo de posse do Arsenal.

O jogo dos gunners frente ao West Ham, que ditou que a equipa que conta com Fábio Vieira e Cédric perdesse a liderança do campeonato inglês, foi bastante polémico, pois fica a dúvida se a bola terá ou não saído antes do primeiro golo, de Soucek. Para além disso, a falta de eficácia do Arsenal foi gritante - não marcou, apesar dos 30 remates e dos 77 toques na área adversária - e Arteta sabe disso: «Se não melhorarmos nas áreas, não vamos ganhar nada. No fim de contas, o resultado com o West Ham tem a ver com isso mesmo.» Ainda assim, não é momento para soarem os alarmes: «Não há pânico, trata-se de tentar fazer mais e melhor. Se a equipa estiver a jogar assim assim, vamos ganhar muitos jogos.»

Mantêm-se as baixas do último jogo, entre elas Fábio Vieira, lesionado. Cédric deverá estar de saída e não deve contar. De resto, o plantel também se apresenta na máxima força, apesar de Arteta não ser muito adepto da rotação, o que pode causar, sobretudo no final do jogo, alguns momentos de desgaste, algo que não deve condicionar o domínio que o conjunto tem vindo a apresentar esta época.

Depois de perder por 4-2 com o Brighton, o Tottenham sabe que o triunfo é a melhor reação possível. 

A equipa conta com muitos elementos essenciais de fora por lesão. Maddison, van de Ven e Romero são baixas importantes, sobretudo os dois centrais, que levam a que Ange Postecoglou tenha usado - com poucos dividendos retirados - Emerson e Ben Davies no eixo da defesa. Também Kulusevski e Bissouma estão afastados deste jogo, por suspensão.

Ange Postecoglou, que já garantiu que, apesar das lesões, «não vai haver milagres» no que toca a contratações em janeiro, prefere focar-se no regresso de Lo Celso a 100%: «Quando ele entrou com o Brighton, esteve muito bem. Quando jogou com o Everton, também. É bom tê-lo de volta totalmente recuperado.» 

Heung-min Son deverá ser capitão e, no onze, deve manter-se Pedro Porro, que tem sido um dos elementos mais positivos dos spurs. Apesar do jogo menos bom do ex-Sporting frente ao Brighton, a sua assistência tornou-o no defesa que mais vezes serviu os seus colegas nesta edição da Premier League.

Em sentido contrário, está o Bournemouth que, nos últimos sete jogos, venceu seis e empatou um. É a equipa em melhor forma do campeonato e o seu avançado, Solanke, está numa grande fase: já leva 12 golos nesta edição da prova.

Apenas Lewis Cook poderá recuperar em comparação com a vitória por 3-0 frente ao Fulham. Hamad Traoré, infetado com malária, está a recuperar bem, mas não conta. A equipa não deve mudar muito, diz Iraola: «Não vamos mudar muitos jogadores neste momento porque temos apenas três ou quatro dias entre partidas.»