Luís Freire: «Somos um grupo que está habituado a superar-se»
Treinador do Rio Ave antecipa dificuldades na deslocação ao terreno do SC Braga, mas afiança que a sua equipa tem soluções para responder aos problemas

Luís Freire: «Somos um grupo que está habituado a superar-se»

NACIONAL06.10.202318:25

Treinador do Rio Ave está consciente do momento menos positivo, detalhou os erros cometidos no último jogo e diz que a equipa está preparada para a deslocação a Braga; Guga junta-se ao lote dos indisponíveis

Depois do triunfo na primeira jornada, diante do Chaves (2-0), o Rio Ave entrou numa espiral negativa e, daí para cá, somou quatro derrotas e dois empates. Sendo que, o último desaire, diante do Moreirense, acabou por ser por números demasiado pesados (0-4).

Luís Freire está consciente do momento que a equipa atravessa, fez até questão de detalhar o que correu mal na receção aos cónegos, mas também assume que lidera um grupo de verdadeiros homens e que esse facto é o garante para que os vila-condenses possam inverter o rumo dos acontecimentos.

«Temos um início de campeonato desafiante, porque apanhamos três equipas grandes, candidatas ao título, e a essa dificuldade juntam-se também algumas lesões que temos tido ao longo do caminho. Este tipo de contrariedades não controlamos. Teremos de corrigir algumas coisas que não fizemos bem com o Moreirense. Criámos oportunidades de golo, não foi por aí, mas a nossa organização defensiva não foi boa, a reação à perda da bola foi fraca, a mudança de atitude após perda foi muito má e a agressividade foi má. No fundo, sabemos o que fizemos mal, temos essa consciência e queremos aparecer de cara lavada, não só no próximo jogo, como também daqui para a frente. Uma mentalidade à Rio Ave, como este grupo já demonstrou tão bem. Sabemos que o que fizemos no último jogo não condiz em nada com o que é nossa identidade, mas também não é um jogo menos conseguido que nos fará não saber qual é o nosso caminho e o nosso ADN. Não vamos parar de trabalhar até conseguirmos o que queremos, tal como temos conseguido sempre. Mas temos demonstrado um grande caráter, uma capacidade de trabalho acima da média, uma tremenda resiliência e um espírito incrível. Somos um grupo que está habituado a superar-se, a fazer das dificuldades forças».

E estas palavras foram proferidas na projeção do duelo diante do SC Braga que, à partida, vai oferecer bastantes dificuldades aos rioavistas. Luís Freire tem noção disso, reforçando a ideia pelos elogios que deixa aos comandados de Artur Jorge, mas também reforça que a sua equipa tem condições para contrariar o poderio bracarense.

«Vamos ter pela frente um jogo extremamente desafiante, perante um SC Braga que vem de uma vitória na Liga dos Campeões, que tem um ataque fortíssimo, com capacidade de ferir e de fazer golos. Da nossa parte, temos de melhorar novamente a organização defensiva, porque já estivemos bem neste campeonato a esse nível. Temos trabalho feito, temos confiança nos jogadores e vamos dar a volta, procurando já um resultado positivo em Braga. Sabemos das dificuldades, mas seremos resilientes para o conseguirmos. O SC Braga tem grande capacidade para marcar golos e nós temos de ser fortes defensivamente. Mas também têm algumas dificuldades em certos momentos do jogo, tal como dizem os golos sofridos, e nós mostrámos isso aos jogadores, trabalhámos esses momentos e vamos tentar aproveitá-los».

Durante a conversa com os jornalistas, Luís Freire confirmou as ausências de Joca e de Emmanuel Boateng, ambos por lesão, acrescentando ainda que Guga também não está disponível para dar o seu contributo à equipa.