Boavista: Reisinho vestiu a capa de herói em tarde histórica
Esquerdino chegou ao Bessa em 2019 (Foto: IMAGO)

Boavista: Reisinho vestiu a capa de herói em tarde histórica

NACIONAL19.05.202417:22

Terminou a época mais profícua da carreira do esquerdino, e logo com um golo decisivo, no último suspiro, que selou a manutenção das panteras

Miguel Reisinho viveu uma tarde inesquecível este sábado, no dia em que o Boavista festejou a permanência no principal escalão, após um empate com sabor a vitória frente ao Vizela (2-2).

O relógio assinalava 11 minutos para lá dos 90' quando o médio canhoto marcou, através da marca dos 11 metros, o golo que fez explodir o Bessa de alegria. O remate certeiro do jogador, de 25 anos, foi a cereja no topo do bola na sua melhor época da carreira.

Reisinho encontrou, ao longo de 2023/24, a regularidade exibicional (e de minutos) que lhe faltara em anos anteriores: participou em 33 partidas, em todas as provas, pelos axadrezados esta temporada, mais 11 do que em toda a sua passagem pelos boavisteiros nas quatro épocas anteriores (22).

A somar à maior consistência exibicional, o criativo ainda somou quatro golos e quatro assistências, pulverizando o melhor registo desde que se transferiu do Vitória de Guimarães para a Invicta, em 2019/20.

Reisinho desempenhou um papel chave na campanha das panteras, que terminou em festa, habitualmente suportado pela dupla no miolo composta por Gaius Makouta e pelo capitão Seba Pérez.

De resto, apenas Tiago Morais (que se mudou para o Lille em janeiro), Robert Bozenik e Bruno Lourenço marcaram mais vezes com a camisola das panteras esta temporada, o que não deixa de surpreender, dado que o médio nunca tinha festejado um golo como sénior até à presente época.

O golo histórico de sábado não foi o primeiro que resolveu um jogo complicado para o Boavista. Na ronda 25, Reisinho fez isto contra o Moreirense, num triunfo magro (1-0), também no Estádio do Bessa: