Boavista: empate no dérbi motiva equipa para próximos desafios
Golo de Bruno Lourenço foi insuficiente para que os axadrezados conquistassem pontos em Chaves. (Foto: IMAGO)

Boavista: empate no dérbi motiva equipa para próximos desafios

NACIONAL06.01.202416:01

Apesar de ter prolongado a série de jogos sem vencer no campeonato, plantel axadrezado encara agora as próximas partidas com maior confiança; cinco das seis jornadas seguintes são contra adversários diretos

O empate no dérbi da Invicta não permitiu ao Boavista quebrar o jejum de vitórias na Liga: são agora 11 jornadas consecutivas em que a vitória não sorriu às panteras. Apesar disso, o plantel orientado por Ricardo Paiva tem motivos para encarar os próximos desafios, de cariz importante, com maior tranquilidade.

A boa prestação diante do FC Porto na noite de sexta-feira pode fomentar um incremento de confiança nas hostes axadrezadas, até pelo grau de exigência que a série que se aproxima acarreta.

À exceção do duelo no Estádio da Luz, frente ao Benfica, na 18.ª jornada, os boavisteiros têm pela frente adversários que lutam pelos mesmos objetivos, nesta altura do campeonato.

Trata-se de uma sequência de partidas que contempla três deslocações (contra Vizela, Casa Pia e Chaves) e dois encontros no Bessa (diante de Portimonense e Estoril). 

Recorde-se que, na primeira volta, as panteras bateram todos estes adversários, à exceção do Casa Pia (empate caseiro a uma bola) e do Vizela, contra o qual ainda não jogou. Sem conhecer o sabor da vitória desde a 5.ª ronda do campeonato, altura em que bateu os flavienses (4-1), o Boavista procura estabilizar a sua posição no meio da tabela e evitar eventuais sobressaltos que possam arrastar a equipa para a luta pela permanência.

Em Vizela, na jornada que fecha a primeira volta, Ricardo Paiva ainda não poderá contar com Salvador Agra, Chidozie e Bruno Onyemaechi. Enquanto o extremo português falhou o dérbi por lesão muscular na coxa, os dois defesas partiram para o CAN, onde irão representar a Nigéria ao longo do mês de janeiro.

Vincent Sasso, por outro lado, está recuperado da lesão que o afastava dos relvados desde novembro, tendo saltado diretamente para o onze axadrezado frente aos dragões. Com apenas dois defesas-centrais de raiz disponíveis, é esperado que o francês forme parceria com Rodrigo Abascal novamente.

Luís Santos, extremo de 23 anos, também voltou às opções do técnico boavisteiro no encontro desta sexta-feira, tendo entrado no decorrer da partida.