Vasco Seabra: «Não vencemos aqui por 8 centímetros»
O treinador Vasco Seabra reage em jogo do Estoril pela Liga de futebol. Foto: Atlantico Press/Imago.

Vasco Seabra: «Não vencemos aqui por 8 centímetros»

NACIONAL17.12.202322:53

Treinador do Estoril lembrou golo anulado a Alejandro Marqués por escassos centímetros, que poderia ter valido a vitória aos 'canarinhos', mas aceita a igualdade face ao equilíbrio que se registou em Famalicão

No final da partida em Famalicão, que ditou o seu primeiro empate desde que assumiu o comando do Estoril, Vasco Seabra mostrou-se novamente agradado com mais uma prestação dos seus comandados, lembrando um momento do encontro que poderia ter ditado nova vitória para os canarinhos - «acabamos por não ser vencedores aqui por 8 centímetros», referiu, fazendo menção ao golo anulado a Alejandro Marqués, aos 76 minutos, que poderia ter recolocado o emblema da Linha de Cascais em posição de vantagem.

O facto de ter estado próximo de conquistar a vitória num terreno adverso como o do Famalicão motiva o técnico estorilista, que salientou a capacidade do opositor. «Só dá mérito ao que viemos cá fazer, reforçando que diante de um excelente adversário, com um excelente treinador, e portanto acho que as duas equipas estão de parabéns. Acho que foi um bom espetáculo», avaliou Vasco Seabra, que além do golo invalidado a Marqués por fora de jogo contabilizou outras situações que poderiam ter conduzido a outro desfecho.

«Acho que o número de oportunidade que tivemos foi muito boa e conseguimos com que o Famalicão fizesse coisas que habitualmente até nem faz», assinalou, ainda que aceitando a igualdade em função do equilíbrio de forças que se registou. 

«Foi um excelente jogo entre duas equipas que jogam sempre para vencer. Tivemos dificuldades na primeira parte, com o jogo direto menos habitual do Famalicão. Aceitamos o empate ao intervalo», reconheceu o treinador do Estoril, que estende também essa concordância com a igualdade para o que aconteceu na segunda parte.

No cômputo geral, e apesar de achar que as situações de que a sua equipa dispôs no segundo tempo para finalizar e, dessa forma, chegar a um segundo golo, através de um remate ao travessão de Rafik Guitane aos 66 e uma tentativa de remate de Tiago Araújo que não encontrou a devida correspondência, Vasco Seabra reconhece que o empate premeia a atuação dos dois conjuntos. 

«Na segunda parte, corrigimos o posicionamento e anulámos as iniciativas do Famalicão. Em termos ofensivos, tivemos espaços para sair e poderia ter pendido para nós, mas aceito o empate entre duas equipas que jogam para ganhar», concretizou o técnico de 40 anos.