Rubiales: Presidente da Federação inglesa revela mais comportamentos condenáveis de ex-presidente
Luis Rubiales e Debbie Hewitt (Imago)

Rubiales: Presidente da Federação inglesa revela mais comportamentos condenáveis de ex-presidente

INTERNACIONAL07.12.202313:23

Debbie Hewitt disse à FIFA ter-se sentido «desconfortável» ao lado do espanhol

Debbie Hewitt, presidente da Federação inglesa, teve um testemunho bastante contundente contra Luís Rubiales, antigo presidente da federação espanhola, que foi suspenso por um período de três anos.

Em declarações à FIFA, trouxe à luz novas acusações contra o antigo dirigente, nomeadamente comportamentos da fatídica noite do beijo na boca à jogadora Jenni Hermoso, após a final do Mundial feminino na Austrália, a 20 de agosto, em que derrotou a Inglaterra. 

Hewitt testemunhou que Rubiales «é desagradável e desnecessariamente agressivo», tendo acariciado a cara de Laura Coombs e beijado de forma agressiva Lucy Bronze quando as atletas desfilavam a receber medalhas e troféus. 

Diz no relatório da FIFA, citado pelo jornal Marca e pela BBC: «Cumprimentou calorosamente cada árbitro da partida com um aperto de mão. A seleção inglesa subiu ao palco individualmente. O investigado apertou a mão de cada jogadora e tocou o braço de alguns membros que passavam. Agarrou e acariciou o rosto da jogadora inglesa Laura Coombs, algo que Debbie Hewitt – ao seu lado no palco - achou um pouco estranho, e aparentemente beijou com força o rosto da jogadora inglesa Lucy Bronze».

Segue-se depois para a passagem das jogadoras espanholas. «À medida que as jogadoras espanholas davam um passo à frente, Luis Rubiales ficava mais irrequieto. Teve contacto físico com quase todas, beijando a maioria delas na bochecha e dando-lhes vários beijos e abraçando-os com muita força. Passou a mão nas costas de algumas, um toque na nádega de outras, agarrou algumas pelo braço, levantou várias e foi levantado uma vez. Na maioria dos casos Luis Rubiales iniciou os abraços e o contato físico», diz ainda o relatório.

«Os abraços foram correspondidos, mas os beijos não. Parecia que algumas moviam a cabeça para evitar o beijo. A presidente da Federação Inglesa sentiu-se profundamente desconfortável e envergonhada», descreve-se. 

Na sua resposta, Rubiales disse que era «repugnante» que Hewitt o descrevesse como «uma espécie de canalha», acusando-a de «mentiras descaradas»,  referindo que sua declaração geral «presta um mau serviço à sua posição na Federação Inglesa».

A FIFA rejeitou a avaliação de Rubiales, dizendo que «não tinha motivos para duvidar» das observações de Hewitt. Observou também que em «nenhum momento Rubiales se desculpou pelas suas ações, limitando-se a afirmar que ‘não deveriam ter acontecido’.»

Rubiales renunciou em setembro, depois de semanas em que se recusava a renunciar. O painel disciplinar considerou que o comportamento de Rubiales foi «indesculpável e inaceitável».