Roony Bardghji, a estrela de 17 anos do Football Manager, que afundou o Man. United em Copenhaga
Roony Bardghji festeja golo ao Manchester United (Foto: Bildbyran/IMAGO)

Roony Bardghji, a estrela de 17 anos do Football Manager, que afundou o Man. United em Copenhaga

INTERNACIONAL09.11.202301:04

'Red Devils' caem para o último lugar do Grupo A da Liga dos Campeões graças a um golo do avançado sueco aos 87 minutos

Roony Bardghji foi chamado aos 63 minutos por Jacob Neestrup para entrar em cena frente ao Manchester United, na quarta jornada da Liga dos Campeões. Depois da estreia na derrota do FC Copenhaga diante do Bayern Munique (1-2) na segunda ronda, ao pisar o relvado mais ou menos pela mesma altura no lugar de Elias Achourim, coube agora ao jovem sueco de 17 anos e 358 dias de vida substituir Mohamed Elyounoussi e, desta vez, aproveitou bem melhor a oportunidade. 

Aos 87 minutos, depois de uma jogada confusa na área dos red devils, a bola caiu-lhe à frente, mesmo ao jeito do pé esquerdo. Rematou de primeira, com o esférico a bater no solo e a ganhar velocidade, sem hipóteses para Onana, e protagonizou a reviravolta. Os dinamarqueses confirmariam pouco depois um espantoso triunfo por 4-3, com Bardghji a bater dois recordes de uma vez na Liga dos Campeões: é, a partir de hoje, o mais jovem de sempre a marcar ao United e também o goleador mais novo da história do clube que representa.

Internacional sub-21 sueco, nascido no Kuwait, tem ascendência síria e joga na Dinamarca. Apesar de beber de várias culturas, a linguagem em campo é bem clara: com bom controlo, drible curto e excelente definição na finalização, é ainda capaz de pressionar de forma agressiva e apresenta uma boa tomada de decisão. O potencial é enorme. Há cerca de um ano, confirmou a sua ambição, em declarações à Imprensa espanhola: «Vejo-me a jogar no Real Madrid e a ficar lá durante muitos anos. O meu objetivo é tornar-me no melhor jogador do mundo.» Na verdade, quando era pequeno foi fotografado com a camisola do Barcelona, contudo toda a gente tem direito a mudar de ideias.

Há outro atributo a acrescentar ao perfil de Roony Bardghji. A frieza. Há apenas três meses carimbou o apuramento para o play-off da Liga dos Campeões com um penálti à Panenka, curiosamente diante de uma equipa checa, o Sparta Praga. Antonín Panenka deu o título europeu de 1976 à Checoslováquia com um chapéu a Sepp Maeier, guarda-redes alemão, no desempate decisivo dos 11 metros e esse tipo de pontapé carrega desde então o seu nome. Porém, deverá ter sido apenas coincidência. Bardghji não poderia ser assim tão maquiavélico, ou será que poderia?

O jovem sueco leva agora 10 golos em todas as competições em 1217 minutos, o que lhe dá uma média de um remate certeiro a cada 121. Noticia-se há algum tempo que o Chelsea anda muito atento às suas prestações, o que faz sentido devido à política desportiva recente dos blues, com várias contratações a apontar mais para o médio prazo. O seu valor de mercado é de, atualmente, quatro milhões de euros. Resta saber quanto valorizará depois do golo decisivo.

O hype, entretanto, não vem de agora. já existe há algum tempo. Roony Bardghji é um dos wonderkids do famoso jogo Football Manager, e está nas equipas de muitos fãs, que o podem contratar bem cedo na carreira por pouco dinheiro. Se a sua evolução o tornará de certeza umas das melhores apostas no simulador, só resta saber onde o levará a vida real. 

Ficha de Roony Bardghji no jogo «Football Manager» (Imagem: DR)