Ricardo Paiva: «Se é o momento certo? Estaria a mentir se dissesse que sim»
Ricardo Paiva é o novo treinador do Boavista. (Imagem: Site Oficial Boavista)

Ricardo Paiva: «Se é o momento certo? Estaria a mentir se dissesse que sim»

NACIONAL29.12.202313:27

Ricardo Paiva é o novo treinador do Boavista, ocupando o lugar deixado por Petit no início de dezembro

Ricardo Paiva foi apresentado, esta sexta-feira, como novo treinador do Boavista. No auditório do Estádio do Bessa e ao lado do presidente Vítor Murta, o técnico de 43 anos diz-se preparado para assumir a responsabilidade que lhe foi apresentada.

«Agradecer o voto de confiança e garantir que estarei de corpo e alma para cumprir este trabalho. Neste momento, o mais importante é garantir um grupo unido e focado para os objetivos do clube, que passam por trabalhar semanalmente e conquistar os três pontos. Vejo muita qualidade no plantel, que está unido e coeso.

O primeiro jogo oficial de Ricardo Paiva como treinador principal, depois de ter conseguido um empate com o Vitória de Guimarães na jornada passada, será este sábado (15h30) em Barcelos.

«Aquilo que espero é que se mantenha o nível do jogo anterior e que tenha na vitória o objetivo principal. Vamos aproveitar o bom trabalho que havia sido feito no plantel e, de forma equilibrada, vamos percorrer o nosso caminho».

Contra o Gil Vicente, Ricardo Paiva não contará com jogadores influentes como Seba e Makouta, que ficarão a cumprir castigo.

«Vou ter de resolver com as soluções que tenho dentro de portas. Dento dessas características ajustaremos a equipa para dar a melhor resposta. Mas apanhei um grupo motivado e recetivo às ideias, portante, é sempre um sinal positivo».

Ricardo Paiva confessou que «não é o momento certo para assumir uma equipa», referindo-se ao momento conturbado do clube e que acabou no afastamento de Petit do comando técnico no início de dezembro.

«Quem tem como objetivo treinar uma equipa profissional tem de estar preparado para responder prontamente quando esse momento chegar. Acredito que as competências que fui adquirindo ao longo dos anos são suficientes para abraçar este projeto. Se é o momento certo? Estaria a mentir se dissesse que sim, mas isto aconteceu de forma inesperada e acredito não haver momento certo. Agora, toca-me abraçar com profissionalismo para conseguir acrescentar valor ao trabalho».

Formação da equipa técnica 

Novos adjuntos: Pedro Rufino, Tomás Santos e Francisco Martins 

Transitam: Jorge Couto (segundo) e Pedro Correia (guarda-redes)