Adjunto do Palmeiras revela plano de Abel para pressionar Botafogo
Abel Ferreira, treinador do Palmeiras (IMAGO / TheNews2)
Foto: IMAGO

Adjunto do Palmeiras revela plano de Abel para pressionar Botafogo

INTERNACIONAL09.12.202315:10

Revelação feita por João Martins, em entrevista à Tribuna Expresso

João Martins, adjunto de Abel Ferreira no Palmeiras, revelou o plano do treinador para colocar pressão no Botafogo e chegar ao bicampeonato brasileiro. Recorde-se que o fogão chegou a liderar o Brasileirão com grande vantagem para a perseguição.

«Foi engraçado porque quando a distância abriu muito, o Abel começou a passar o discurso: ‘Vou dar-nos como fora do título, só para tentar que o Botafogo comece a sentir mais pressão de ser líder. Sempre que me perguntarem, eu vou dizer que o Botafogo é o grande candidato, que o Botafogo tem tudo para ganhar, que o Botafogo só depende dele’. Porque sabíamos bem o que nos custou, no ano passado, sermos consistentes», começou por dizer.

João Martins, adjunto de Abel Ferreira no Palmeiras (IMAGO / TheNews2)

«É preciso saber estar na frente, lidar com a pressão, saber lidar com a visibilidade, com essas coisas todas de quem ganha. Sabíamos que o Botafogo era um clube que não ganha há muitos anos. A verdade é que estava com tudo para ganhar e com grande, grande, grande distância. O Abel disse isto, se calhar, há três ou quatro meses. O mais engraçado é que os jogadores partilhavam muito isso: ‘João, vais ver que eles vão começar a escorregar, vão começar a perder pontos’», prosseguiu, lembrando o encontro entre o verdão e Palmeiras – equipa comandada por Abel Ferreira esteve a perder por 0-3 e virou para 4-3.

«Todos os anos usamos uma história para toda a competição. A história deste ano era o Monopólio. A imagem do nosso meeting antes do jogo era o Monopólio, cada casinha é cada jogo. O Abel começava sempre a dizer ‘ainda vai passar muita água nesta ponte’, que era a reta do Monopólio. O mais engraçado é que no final da reta, no final do retângulo há a curva, e ele dizia: ‘A ver se eles não se despistam nesta curva’ [Botafogo-Palmeiras]. O mais engraçado é que foi nessa curva que começámos a ficar a dois pontos, três pontos», atirou.

Após passar para a frente do Brasileirão, o treinador português deu o piloto Max Verstappen, tricampeão de Fórmula 1, como exemplo: «Quando passámos para a frente, ele disse- ‘Vamos tirar o retrovisor do nosso carro, só interessa nós contra nós. Se formos mais rápidos do que quem vier atrás não nos vão apanhar’. Ele dava sempre o exemplo do Verstappen, que concorre sempre contra ele próprio. Ele gosta muito de desportos motorizados, porque o pai é mecânico. Esqueçam quem vem atrás, é nós contra nós.»