No Sporting de Amorim ninguém é mais generoso que Pedro Gonçalves
Pedro Gonçalves (IMAGO)

No Sporting de Amorim ninguém é mais generoso que Pedro Gonçalves

NACIONAL07.12.202323:41

Jogador português leva 34 assistências, Nuno Santos só está uma atrás; esta temporada o rei é Gyokeres, mas por pouco

O Sporting não é o melhor ataque do campeonato, mas anda lá perto, à sombra dos seus 26 golos marcados e, sobretudo, de um ataque versátil e potente, reforçado pela contratação do ponta de lança sueco Viktor Gyokeres, mas também pelo virtuosismo e generosidade de atores principais da era Rúben Amorim, como são os casos de Pedro Gonçalves e Nuno Santos

Na Liga pertence ao SC Braga a liderança da tabela de golos, com 33, mas este Sporting é muito mais do que apenas uma equipa finalizadora no campeonato: 4 golos marcados num só jogo de Taça da Liga, 11 golos em duas partidas de Taça de Portugal, 7 golos em cinco encontros de Liga Europa. 

E a origem desses golos, atribuída com muita justiça aos méritos evidentes de Gyokeres, é também pertença dos tais jogadores que chegaram ao Sporting com Rúben Amorim e nunca deixaram de participar positivamente nos números da equipa. 

Olhe-se, por exemplo, para o último encontro dos leões, diante de Gil Vicente, em Alvalade, para o campeonato: 3-1, com autogolo de Tiba que nasce de disparo de Nuno Santos, dois golos de Viktor Gyokeres, um deles a passe de Pedro Gonçalves. 

Em 2023/2024, Pedro Gonçalves e Nuno Santos partilham com exatidão os talentos para servir golos, tendo cada um quatro assistências, duas delas na Liga. O melhor da equipa é, ainda assim, o internacional sueco, que está em todas as frentes quando o tema é golos. 

Pedro Gonçalves e Nuno Santos, porém, já cá andavam ainda Gyokeres era jogador do Coventry, do Championship, segundo escalão de Inglaterra, pelo que os números são muito mais ricos do que aqueles que têm para mostrar em pouco menos de metade de temporada. 

A dupla vale, feitas as contas, 67 assistências para golo, 50 delas na Liga. Diz bem da importância dos futebolistas na equipa de Rúben Amorim, para a qual contribuíram mais do que qualquer outro futebolista no ranking dos passes para golos. Pedro Gonçalves, 25 anos é o leão das assistências, com 34, Nuno Santos tem apenas uma a menos. 

Na Liga, o médio contratado ao Famalicão serviu 27 golos, já o ala canhoto, mesmo não sendo tantas vezes titular quanto o companheiro, ofereceu 23. Aliás, NunoSantos, 28 anos, afirmou durante o programa ADN de Leão 2.0, exibido ontem — primeiro convidado da nova temporada —, que quando está dentro de um jogo o objetivo «é sempre fazer golos ou assistências». 

Nuno Santos (Sporting CP)

Só jogadores como Pedro Porro, lateral-direito espanhol que já se mudou para o Tottenham, Bruno Tabata, extremo brasileiro do Sporting campeão de Rúben Amorim, ou Marcus Edwards, extremo inglês em funções, rondaram os desempenhos dos dois portugueses ao nível das assistências. 

Respeitável duplo/duplo

Nuno Santos tem 29 golos marcados em 155 jogos pelo Sporting, nada mal para quem nem sempre é titular (111 presenças no onze, 44 utilizações a partir do banco) e atua por vezes bem longe da baliza, desempenhando papel de lateral/médio ala na estrutura de 3x4x3 do leão, mas Pedro Gonçalves é ainda mais completo, beneficiando do facto de jogar mais à frente (esporadicamente é utilizado como médio). 

Em 148 partidas, 63 golos. Em duas das quatro temporadas de leão ao peito — e contando já com a que está em curso e ainda nem chegou a meio —, o jogador conseguiu o duplo/duplo, atingindo a casa das dezenas nos golos e nas assistências, o que diz muito do envolvimento ofensivo.