Lewandowski já sabe quando quer parar de jogar
Lewandowski (Foto: IMAGO/Pressinphoto)

Lewandowski já sabe quando quer parar de jogar

INTERNACIONAL08.12.202309:55

Avançado polaco do Barcelona fala do momento e do futuro

Robert Lewandowski, 35 anos, considera ter em si forças para jogar «mais três ou quatro anos».

Em entrevista ao Clube do Desportista, o polaco, no Barcelona há um ano e meio, diz estar no sítio certo, mas começa já a olhar para o futuro e não se vê como treinador

«Não penso no que já ganhei ou no que já fiz. Ainda tenho esse sentimento [de conquista] e essa paixão dentro de mim. Acho que ainda posso jogar futebol por três ou quatro anos, porque fisicamente sinto-me muito bem», explica. 

Com um registo modesto de golos esta temporada – leva 8 em 17 jogos, mas até esteve lesionado – o polaco explica os motivos: «Sei que somos o Barcelona e o que todos esperam de nós: não apenas ganhar, mas também marcar muitos golos. No início da temporada não foi tudo perfeito e se não criamos oportunidades, fica mais difícil marcar golos.»

Lewandowski diz estar feliz na equipa e na cidade. «Sinto-me bem, sei que tudo correu bem, não só no clube, mas também fora, pois vejo como os adeptos me apoiam. Sinto que estou no momento e ligar adequados. No ano passado, quando ainda não estava aqui, havia muitas questões acerca do clube, mas agora estamos no bom caminho e os jogadores podem concentrar-se», diz, falando ainda no positivo da qualificação para os oitavos de final da Liga dos Campeões e a integração de jovens jogadores no plantel: «Lamine, Fermín ou Balde têm um talento incrível e agora sentem que fazem parte do clube e da equipa. Dependendo da idade, é preciso encontrar um bom equilíbrio entre parar e treinar, porque não é fácil para eles.»

Olhando ainda mais para o futuro, não se vê como treinador, ainda que tenha sido orientado por alguns dos melhores como Klopp, Ancelotti ou Guardiola: «Na minha trajetória, é incrível pensar nos bons treinadores que conheci. Sinto-me um sortudo por ter trabalhado com eles. Será difícil viver sem ser jogador de futebol no futuro… mas ser treinador… sei que é um trabalho muito difícil, não estou certo de que esteja preparado para isso. Agora digo isto, mas daqui a 5 ou 7 anos vou ter saudades do balneário, daquele ambiente, e talvez me anime a tentar. Mas agora não me vejo como treinador», garantiu.