FC Porto: Sérgio Conceição não será trunfo eleitoral
Sérgio Conceição à margem das eleições. Foto: IMAGO

FC Porto: Sérgio Conceição não será trunfo eleitoral

NACIONAL26.01.202409:00

Treinador manter-se-á à margem nas eleições; publicamente não assumirá apoio a nenhum dos candidatos; canalizará toda a energia para tentar conquistar o campeonato e a Taça

Mantendo-se fiel aos seus princípios, Sérgio Conceição terá uma postura de distância relativamente a tudo o que se passar antes do ato eleitoral. O treinador quer estar à margem do processo de eleição do futuro presidente do FC Porto e nem a grande proximidade e afetividade com Pinto da Costa alteram o modo de pensar. O treinador, que há sete anos devolveu o clube aos títulos nacionais, quebrando a hegemonia então patenteada pelo Benfica e evitando aquele que seria um inédito pentacampeonato dos rivais da Luz, recusa liminarmente funcionar como trunfo eleitoral neste período que antecede as eleições de abril. 

A BOLA pode assegurar que publicamente não assumirá qualquer posição, nem a favor, nem contra qualquer dos intervenientes que irão às urnas. Existe uma gratidão enorme para com Pinto da Costa por tudo o que fez na sua carreira enquanto futebolista, tanto na primeira passagem como jovem atleta, como depois no regresso após uma incursão bem-sucedida pelo futebol italiano — ao serviço do Parma, Inter e Lazio —, mas Sérgio Conceição não se irá imiscuir no ruído que promete marcar um ato eleitoral histórico no emblema azul e branco. 

Nessa conformidade, o assunto eleições será sempre blindado para o treinador, tanto no plano pessoal, como também a nível de grupo de trabalho. Sempre que nas conferências de imprensa o assunto vier à baila, será imediatamente remetido para a bandeirola de canto. O homem que orienta a equipa principal dos dragões pretende que a equipa não seja prejudicada por tudo o que gravitar nas eleições, redes sociais e afins. Apesar de estar a uma distância de cinco pontos do Sporting e a quatro pontos do Benfica, o treinador entende que a conquista do título é perfeitamente possível, pois faltam muitas jornadas e o calendário aponta para clássicos no Estádio do Dragão com os leões e as águias na segunda volta. 

«Estamos a falar num clube onde a sua vida associativa está ao rubro. Partilhar ideias. Isolamo-nos um bocadinho. Para mim o mais importante é o Olival, os jogadores estarem tranquilos, fazerem o que têm feito nos últimos quatro anos. Nós continuamos com a mesma ambição, se não for o ruído eleitoral será outro ruído qualquer. Há sempre ruído à volta do FC Porto e estamos habituados, estamos aqui para trabalhar, porque somos empregados do clube e estamos focados», disse, em conferência de imprensa de antevisão ao encontro com o Moreirense

A renovação é outro assunto que não irá aflorar em praça pública neste momento. Sérgio Conceição termina contrato em junho, André Villas-Boas já questionou o porquê de a SAD ainda não ter proposto a sua continuidade, mas o treinador assumiu que não é um tema para se debater nesta fase crucial da época futebolística.