Estrela da Amadora: Antevisão «em família» e a adensar dúvidas para o Arouca
O treinador Sérgio Vieira abraça o jogador Léo Jabá, com vários elementos da equipa técnica do Estrela da Amadora em redor, em jogo pela Liga de futebol.

Estrela da Amadora: Antevisão «em família» e a adensar dúvidas para o Arouca

NACIONAL27.12.202319:49

Sérgio Vieira realizou a antevisão ao jogo desta quinta-feira acompanhado por toda a sua equipa técnica, tendo deixado em aberto alguns regressos à convocatória, mas também outras possíveis baixas

Foi com uma conferência de imprensa diferente do habitual que o Estrela da Amadora realizou a antevisão ao encontro referente à 15.ª jornada da Liga, frente ao Arouca: Sérgio Vieira surgiu na sala acompanhado por toda a sua equipa técnica, sendo que cada um dos elementos teve a sua oportunidade de puxar da palavra para abordar as características do próximo adversário e, acima de tudo, deixar ainda mais dúvidas relativamente à equipa a apresentar visto que apenas se confirmaram possíveis regressos, mas também novas baixas.

«Felizmente e infelizmente poderemos ter novidades, não consigo estar a mencionar quais. Há jogadores que estão num processo positivo de poderem vir a dar o seu contributo à equipa e infelizmente um ou outro poderão ser baixa pelos mesmos motivos [lesão]. Mais uma vez, será este espírito que mencionamos, de família, de união, que permite que os jogadores que estiverem irão dar tudo, vão trabalhar em equipa, jogar e lutar como uma verdadeira equipa família para que os adeptos se sintam extremamente realizados», prometeu o treinador.

Uma situação difícil para o Estrela da Amadora que se tem prolongado pelas últimas semanas e levado a adaptações em algumas posições, em especial na defesa, algo que, ao que tudo indica, poderá voltar a acontecer no encontro agendado para esta quinta-feira apesar de se manter num total mistério quais serão, desta feita, as ausências a lamentar por parte do conjunto amadorense. O Estrela poderá ter de voltar a improvisar e o preparador físico dos tricolores, Ricardo Dinis, destacou a resposta que tem sido dada pela equipa. 

Alguns elementos como Hevertton ou Shinga, que no último encontro disputado, contra o Farense, alinharam como centrais adaptados sem prejuízo no rendimento da equipa, que empatou a zero no Algarve, são disso exemplo e o elemento da equipa técnica estrelista espera que essa capacidade de adaptação às circunstâncias volte a manifestar-se.

«Há tanto a nível físico, como na exigência tanto da equipa técnica como de toda a estrutura o trabalho de desenvolver o atleta em todas as dimensões para dar resposta, mesmo não jogando regularmente conseguirem dar a resposta que deram», transmitiu o treinador, em consonância com o seu chefe de equipa, na véspera do regresso à competição após mais de uma semana de paragem competitiva para a celebração da época natalícia – o Estrela realizou sessões de treino na véspera e no dia de Natal.

Um dos trunfos que os tricolores irão apresentar será Kialonda Gaspar, que regressa às opções após ter cumprido um jogo de suspensão e ainda defrontará o Arouca antes de se juntar à sua seleção, Angola, para disputar a Taça das Nações Africanas, que se inicia a 13 de janeiro, e Sérgio Vieira aproveitou para elogiar o seu pupilo, esperando apenas perdê-lo durante a estada dos Palancas Negras na competição e não numa eventual transferência, que ainda assim consideraria «natural».

«Teve todo o mérito, da parte dele, em tomar a decisão de vir para o Estrela, e para a Liga 2, já sendo um jogador internacional pela sua seleção e jogando num dos principais clubes do seu país, mas numa realidade muito distinta da nossa em termos táticos, metodológicos…em diferentes níveis. Tivemos esse mérito enquanto clube, o nosso presidente, a nossa administração e equipa técnica, de o ter contratado e depois de o termos desenvolvido e incutido nele rigor técnico e defensivo», enalteceu, satisfeito com o seu rendimento.