Casa Pia: Melhor versão de Pablo Roberto reapareceu em Guimarães
Pablo Roberto, do Casa Pia (à esquerda), em duelo com Marcus Edwards, do Sporting (à direita), Foto: Atlantico Press/Imago.

Casa Pia: Melhor versão de Pablo Roberto reapareceu em Guimarães

NACIONAL27.02.202413:16

Médio brasileiro regressou à titularidade frente ao Vitória de Guimarães e contribuiu com um golo e uma assistência; apresentou nível próximo da sua chegada a Portugal e já apresenta os melhores números da carreira

As últimas duas semanas têm sido de galvanização do Casa Pia, que se reencontrou com os bons resultados com a entrada de Gonçalo Santos para o comando técnico e também com um perfil mais metódico, em que não necessita de ser a equipa mais dominadora no plano estatístico para vencer. Assim aconteceu frente ao Arouca, há duas semanas (vitória por 1-0), e também no passado sábado, frente ao Vitória de Guimarães, em partida que os gansos saíram triunfantes (2-0).

Duas vitórias que contaram com alterações pontuais entre cada onze, o que representa outra boa notícia para o novo treinador casapiano e para o plantel, cujas opções parecem estar a surgir em bom momento numa fase de vital importância na temporada. Um caso claro será o de Pablo Roberto, que regressou ao onze titular e deu a melhor resposta possível, com direito inclusivamente a estatuto de melhor em campo, com influência total no resultado – um golo e uma assistência.

Pode considerar-se que melhor timing para o regresso ao onze seria difícil para Pablo, que começou a destacar-se logo aos 4 minutos, com a assistência para a finalização de Clayton para o primeiro golo dos lisboetas no Minho, e carimbou a sua prestação decisiva com a obtenção do segundo e último golo da partida, aos 35 minutos de jogo, numa finalização de classe. Uma cartada de sucesso num jogador que, ultimamente, vinha protagonizando um percurso errático.

Recorde-se que o brasileiro necessitou de aguardar praticamente um mês para voltar a alinhar como titular, visto que a sua última aparição no alinhamento inicial havia tido lugar a 29 de janeiro, na pesada derrota (8-0) frente ao Sporting, em Alvalade. Depois dessa noite fatídica ante os leões, Pablo não saiu do banco no encontro seguinte, ante o Boavista (0-0), e 33 minutos distribuídos pelas duas rondas que se seguiram, frente a Rio Ave (um minuto), ainda com Pedro Moreira ao comando, e Arouca (32 minutos) já orientado por Gonçalo Santos.

Depois do brilho em Guimarães, Pablo Roberto espera recuperar o momento de forma em que se encontrava no início da temporada, no qual se colocou entre as revelações da Liga no seu primeiro trimestre. Apesar de, na transição entre Filipe Martins e Pedro Moreira como treinadores principais do emblema de Pina Manique, o médio ter perdido algum fulgor, o somatório de toda a temporada comprova que o jogador cumpre – no seu primeiro ano em Portugal – a melhor época da sua carreira.

O médio versátil, que desde a sua chegada a Lisboa já alinhou como médio centro, integrado numa dupla de médios, e como médio ala, tanto pela direita como pela esquerda, surgiu no trio ofensivo escolhido para defrontar o Vitoria, colocado no lado esquerdo do ataque, e reforçou os seus dados estatísticos, nos quais agora figuram quatro golos e quatro assistências, registo que nunca antes conseguiu na sua carreira sénior no Brasil, ao serviço de Atlético Goianiense, Portuguesa do Rio de Janeiro, Vila Nova, Bahia e Remo.