Vítor Pereira e o pós-2024: «Objetivo é fazer mais dinheiro»
Vítor Pereira (Foto: IMAGO/pmk)

Vítor Pereira e o pós-2024: «Objetivo é fazer mais dinheiro»

NACIONAL16.01.202419:15

O treinador português de 55 anos comentou o impacto do novo formato das competições europeias na Liga

Os treinadores presentes V Fórum de Treinadores, que decorreu no Centro de Congressos da Alfândega do Porto, discutiram, esta terça-feira, o impacto dos novos modelos competitivos da UEFA nas calendarizações domésticas, isto porque, a partir da temporada 2024/25, a carga de jogos nas competições europeias será maior devido ao novo formato que a UEFA vai implementar.

Vítor Pereira, treinador convidado para o evento, tem a certeza de que este novo formato não vai fazer «evoluir o futebol», porque o que está em causa «é fazer mais dinheiro» por parte da UEFA.

«A intensidade de jogo é grande e a qualidade do futebol vai cair. Isto vai acabar por dividir o grupo da frente, os que estão nas competições europeias, e os que não jogam na Europa porque uns vão enfrentar jogos altamente competitivos e os outros vão ter de esperar mais tempo. Isto significa mais lesões e mais tempos de recuperação para os que jogam neste formato. Acredito que o nível de qualidade de jogo diminua em Portugal. Sei que o objetivo é fazer mais dinheiro e tenho as minhas dúvidas de que isto faça evoluir o futebol», disse o treinador português, atualmente sem clube, e que não pensa, para já, em regressar ao ativo.

«Não faz parte dos meus planos regressar, mas pretendo estar ligado ao futebol. Gosto de falar sobre futebol e partilhar aquilo que penso e estou a sentir. Imagino-me a regressar ao ativo, mas não em breve.»

Também Pedro Moreira, treinador do Casa Pia, mostrou-se preocupado com o tempo de recuperação provenientes da carga de jogos.

«Um calendário congestionado é algo que diz mais respeito às equipas que jogam nas competições europeias, mas acaba por afetar todas as competições domésticas. Há menos espaços para as competições domésticas e para as nossas equipas. Também há a questão dos tempos de recuperação para aquelas equipas que vão lutar por pontos para o ranking do nosso país. Vejo um esforço grande da nossa Liga em procurar que as coisas sejam feitas com menos impacto no futuro».

Os treinadores presentes no certame reconheceram a importância da criação de uma Direção Técnica dentro da Liga - liderada por Domingos Paciência - para uma melhor articulação entre os agentes desportivos, nomeadamente os treinadores do futebol profissional.

A Liga deu conta de que as competições em Portugal estão preparadas para enfrentar o novo desafio, que retira quatro datas às competições domésticas, desta forma, o formato da Taça da Liga será alterado a partir da próxima época.