Os destaques do Boavista: Makouta contra o mundo
Makouta e Francisco Conceição lutam pela posse da bola

Os destaques do Boavista: Makouta contra o mundo

NACIONAL05.01.202423:55

Pantera mostrou ser imune à dor; reação imediata ao golo do FC Porto, num belo cabeceamento de Bruno Lourenço; depois, foi aguentar, aguentar…

A figura: Makouta (8)

Que pulmão incrível. Começou mais recuado, dando a Seba Pérez mais iniciativa no meio-campo, cabendo ao congolês a missão de secar Pepê e Eustáquio. Quando o Boavista ficou reduzido a 10 unidades, foi mesmo Makouta contra o mundo, em cortes cirúrgicos, a aparecer na área, a sacudir a pressão nas alas, a dar o corpo às balas.

O Boavista teve uma capacidade incrível de sofrimento na fase de maior aperto, quando Camará, de cabeça quente, foi expulso. Ainda assim, a pantera não caiu aos trambolhões, muito pelo contrário, teve em Sasso e Abascal duas pedras influentes numa muralha sólida constituída ainda por Filipe Ferreira que protegeu bem João Gonçalves. Mais que sofrer, o Boavista soube ter a frieza de reagir de forma muito competente ao golo do FC Porto. Tiago Morais, impecável na marcação de um livre, encontrou Bruno Lourenço sozinho na área para cabecear com sucesso. Um belo golo, num momento que podia ter sido replicado por Bozeník, mas de outra forma: o petardo do atacante saiu quase do meio da rua e parou na luva de Diogo Costa. Com tantos heróis a recusar cair, o destaque tem de ir para a dupla Seba Pérez/Makouta, que parou as vagas sucessivas de ataque dos portistas, sem esquecer o papel determinante de Luís Santos no apoio ao ‘amarelado’ Pedro Malheiro.

As notas dos jogadores do Boavista: João Gonçalves (7), Pedro Malheiro (5), Sasso (7), Abascal (7), Filipe Ferreira (6), Seba Pérez (6), Makouta (8), Reizinho (6), Bruno Lourenço (7), Tiago Morais (7), Bozeník (7), Luís Santos (5), Camará (1), Martim Tavares (-), Vukotic (4) e Berna (-)