Marco Matias quer igualar a melhor série de vitória consecutivas do Farense

Marco Matias quer igualar a melhor série de vitória consecutivas do Farense

NACIONAL30.11.202316:58

Extremo dos algarvios acredita que neste sábado, diante do V. Guimarães, o Farense pode imitar a melhor sequência de triunfos (quatro) do clube na 1.ª liga

Com três vitórias consecutivas no campeonato, o Farense vive o seu melhor momento na competição. Apesar de reconhecer valia ao adversário, Marco Matias considera que no sábado o clube algarvio poderá vencer o Vitória Guimarães no São Luís e igualar as quatro vitórias consecutivas obtidas em 1994/1995, a melhor sequência dos ‘leões de Faro’ na 1.ª liga até ao momento, numa equipa que tinha Paco Fortes como treinador. 

«Só pensamos em nós. Temos um jogo importante, sabemos que o Vitória (Guimarães) é uma equipa bastante forte e agressiva, mas nós só pensamos meramente em nós, se queremos dar sequência a esta boa fase de vitórias. Penso até que igualamos a melhor série de vitórias do Farense na 1.ª liga, que são quatro, se vencermos o jogo. E é nisso que estamos focados, em vencer, ainda por cima em casa, com o apoio dos nossos adeptos, o que também é uma mais valia. Acho que temos reunidas todas as condições para ser um bom jogo e para conseguirmos um resultado positivo», crê o extremo de 34 anos, que deverá voltar ao onze, depois de ter falhado o jogo com o Boavista devido a uma contusão.

Em termos pessoais, Marco Matias está satisfeito com a sua produção, mas espera render ainda mais. «Em primeiro lugar, a minha satisfação vem sempre em prol do grupo. Se o grupo estiver bem, é sinal que todos os jogadores que têm jogado e participado estejam bem. Estamos satisfeitos, mas queremos sempre mais, fazer mais golos, assistências, jogar mais minutos, ter mais vitórias. Isso tem que existir sempre dentro de nós como um objetivo. Mas tirando isso, que é sempre um objetivo secundário, o principal é sempre o clube e ele estando bem como está neste momento, acho que é um motivo de orgulho para todos nós», expressou.