Manchester City-Everton: o confronto... do 'fair play' financeiro?
Bernardo Silva (IMAGO/Sportimage)

Antevisão Manchester City-Everton: o confronto... do 'fair play' financeiro?

INTERNACIONAL10.02.202408:30

'Cityzens' e 'toffees' defrontam-se após duras palavras de Sean Dyche sobre as penalizações

Manchester City e Everton enfrentam-se na 24.ª jornada da Premier League.

O jogo está, para já, marcado pelas palavras de Sean Dyche, que se queixou daquilo que considera ser uma dualidade de critérios no que toca ao fair play financeiro. «Como todos os outros, perguntamo-nos o que faz uma regra para um (Everton) e outra para o outro (Manchester City). As pessoas na rua perguntam… Porquê o Everton? Não sei qual é o número exato, mas eles referem-se a mais de 100 acusações contra o City.» Pep Guardiola desvalorizou. «Vocês sabem a minha opinião sobre isso. Já falei muitas vezes. Não tenho mais nada a acrescentar. Tenho muito respeito por Sean Dyche, o meu histórico contra as suas equipas no passado é irrelevante. Parabéns pelo seu 300.º jogo na Premier League, não podes fazer isso a menos que sejas bom», elogiou o espanhol.

Quanto ao jogo jogado, o Manchester City pretende manter a perseguição ao primeiro lugar, que está a dois pontos, ainda que o Liverpool tenha mais um jogo disputado. A equipa está na máxima força e deverá, certamente, fazer os toffees sentirem a elevada pressão e o desgaste do ataque posicional dos skyblues. Posse de bola, porém, não vence jogos só por si: Sean Dyche é conhecido pelo pragmatismo do seu jogo e a sua equipa tem mostrado que, mesmo com menos 10 pontos, consegue bater-se com qualquer adversário.

O Liverpool, líder à condição, joga com o Burnley. A equipa de Jurgen Klopp vem ferida, depois da dura derrota por 3-1 em casa do Arsenal, mas pretenderá reagir frente ao Burnley, que luta pela manutenção. Salah continua a ser ausência, assim como Thiago Alcântara, mas a equipa parece vir a recuperar, pouco a pouco, os seus lesionados. Endo já é opção e o meio-campo está cada vez mais saudável, frente aos clarets que, sob a batuta de Kompany, parecem ter bons princípios que, na prática, não estão a surtir o efeito pretendido.

O Tottenham recebe o Brighton, e há boas notícias para Ange Postecoglou. Heung-min Son, «estrela da companhia», já voltou às opções, bem como Pape Matar-Sarr e Bissouma. São reforços de peso para o técnico dos spurs, que têm sentido as ausências dos vários elementos, quer por lesão, quer por causa das competições de seleções. Do outro lado, as lesões de Solly March, Mitoma e João Pedro são preocupantes para Roberto De Zerbi, cuja equipa muitas vezes se faz valer do elevado poder ofensivo para compensar os maus resultados defensivos.

Wolverhampton e Brentford defrontam-se em diferentes momentos de forma: os wolves só perderam um dos últimos cinco, os bees só ganharam uma vez. Pedro Neto, José Sá, Toti Gomes e Nélson Semedo têm sido titulares da equipa de Gary O'Neill, que tem o plantel todo à sua disposição. Do outro lado, está o Brentford, a lutar pela permanência mas com um grande reforço de inverno: Ivan Toney. O avançado tem marcado neste regresso passado vários meses e a sua qualidade é tal que até Thomas Frank já admitiu que «o mais provável é ele ser vendido no verão».

O Fulham, de Marco Silva, joga com o Bournemouth. Separados por um ponto, ambos os conjuntos lutam pelo 12.º lugar. A equipa de João Palhinha teve um bom início de ano, ainda que tenha estagnado nos últimos jogos, tal como o Bournemouth. A grande figura do encontro é Dominik Solanke, avançado dos cherries, que está a apenas um golo dos 14 de Salah e Haaland, artilheiros máximos da Premier League.

Na luta pela manutenção, encontram-se Luton e Sheffield United. A equipa de Kenilworth Road está a fazer um campeonato surpreendente, e já não é de espantar o favoritismo frente aos blades, últimos classificados da Premier League. Adebayo é a grande figura dos anfitriões: já leva nove golos no campeonato.