Everton e Nottingham Forest acusados de violarem regras de rentabilidade e sustentabilidade da Premier League
O Everton pode sofrer a sua segunda dedução de pontos esta época. Foto IMAGO/PA Images

Everton e Nottingham Forest acusados de violarem regras de rentabilidade e sustentabilidade da Premier League

INTERNACIONAL15.01.202417:00

Ambos os clubes podem sofrer uma dedução de pontos, o que, para o Everton, seria a segunda vez

A Premier League acusou Everton e Nottingham Forest de não cumprirem as Regras de Rentabilidade e Sustentabilidade da competição.

Segundo diz o regulamento, os clubes que fazem parte da liga inglesa não podem ter um prejuízo inferior a 105 milhões de libras - pouco mais de 122 milhões de euros - ao longo de três anos. Os prejuízos estão divididos em duas partes, sendo que, desse valor, apenas cerca de 15 milhões de libras podem ser prejuízo direto do clube. Os outros 90 milhões restantes devem ser assegurados pelos investidores, algo que é conhecido como «fundo seguro».

Os toffees, representados pelos portugueses Beto, André Gomes, Youssef Chermiti e João Virgínia, já reagiram ao que consideram uma «clara deficiência das regras da Premier League». 

«O Everton FC reconhece a decisão da Premier League de dar a conhecer uma quebra nas Regras de Rentabilidade e Sustentabilidade no período terminado em 2022/23 a uma comissão independente da Premier League. Este caso está ligado ao peródo que cobre as épocas 2019/20, 2020/21, 2021/22 e 2022/23. Isto significa que estão incluídos os períodos financeiros (2019/20, 2020/20 e 2021/22) pelos quais o clube já foi sancionado com uma dedução de 10 pontos. O Clube está a aguardar o resultado do recurso dessa sanção.
A Premier League não possui diretrizes que prevejam um clube ser sancionado por supostas violações em períodos financeiros que já foram punidos, ao contrário de outros órgãos sociais, incluindo a EFL. Como resultado - e devido ao novo compromisso da Premier League em lidar com tais questões 'durante a temporada' - o clube está numa posição em que não teve outra opção senão submeter um cálculo do lucro e prejuízo, que permanece sujeito a alterações, enquanto se aguarda o resultado do recurso.
 O clube tem agora de se defender de outra reclamação da Premier League que inclua os mesmos períodos financeiros pelos quais já foi sancionado, antes mesmo de o recurso ser ouvido. O clube considera que isto resulta de uma clara deficiência nas regras da Premier League. 
O Everton pode garantir aos seus adeptos que continuará a defender a sua posição durante o recurso e, caso seja obrigado a fazê-lo, em qualquer ocasião futura - e que o impacto nos adeptos será reflectido como parte desse processo.» pode ler-se no comunicado.

Também o Nottingham Forest, de Nuno Espírito Santo e Nuno Tavares, já deu a sua resposta. «O Nottingham Forest reconhece a declaração da Premier League que confirma que o clube foi hoje acusado de violação das Regras de Rentabilidade e Sustentabilidade da competição. O clube pretende continuar a cooperar plenamente com a Premier League nesta questão e está confiante numa resolução rápida e justa.»

Se os clubes forem condenados, a dedução de pontos deverá ser o castigo aplicado, o que, para o Everton, seria a segunda vez que tal aconteceria essa época, após a subtração de 10 pontos em novembro.