Destaques do Estoril: Sempre que Guitane apareceu, a bola sorriu
Rafik Guitane arma um remate em jogo do Estoril pela Liga de futebol. Foto: Atlantico Press/Imago.

Destaques do Estoril: Sempre que Guitane apareceu, a bola sorriu

NACIONAL17.12.202321:38

Criativo apareceu a espaços num jogo de perfis opostos, mas quando interveio...o futebol agradeceu, com jogada individual seguida de assistência e uma bola ao travessão

Mais um ponto angariado para um Estoril que soube adaptar-se bem às circunstâncias do jogo – fulgurante na primeira parte, mais adequado aos seus artistas, e fisicamente compacto na segunda, apelando mais a um perfil de atletas que os canarinhos também possuem. 

Tendo em conta estes opostos que se verificaram, Rafik Guitane nem sempre apareceu; porém, quando o fez, a bola sorriu sempre e o futebol saiu a ganhar, destacando-se a sua dança sobre dois adversários antes de assistência perfeita para o golo de Cassiano, ainda no período inicial, e o movimento interior antes de atirar em cheio no travessão aos 66’, servido por Rodrigo Gomes, que também teve uma noite diferente das que mais recentemente tem conhecido.

Este encontro não permitia deslumbramentos e o ala entregou-se ao trabalho, com a velocidade que o caracteriza e aguerrido a cada lance. Uma filosofia que se aplicou também a Mateus Fernandes, que sabe ser criativo mas também jogar de faca no dente, o que lhe permitiu ganhar várias disputas perante o laboroso trio meio-campo adversário, quase sempre bem coadjuvado por Koba Koindredi. Na defesa, Pedro Álvaro e Bernardo Vital cresceram com o avançar da partida, especialmente depois de o coletivo compreender melhor a movimentação de Cádiz. Alejandro Marqués trouxe o fulgor que Cassiano foi perdendo e até marcou…mas não valeu.

As notas dos jogadores do Estoril: Marcelo Carné (5), Raúl Parra (5), Pedro Álvaro (6), Bernardo Vital (6), Rodrigo Gomes (6), Mateus Fernandes (6), Koba Koindredi (6), Tiago Araújo (6), Rafik Guitane (6), João Marques (6), Cassiano (6), Alejandro Marqués (5), Eliaquim Mangala (4), Heriberto Tavares (4) e Wagner Pina (-).