Fernando Gomes assinala «conquistas» num «ano muito rico para as cores nacionais»
Fernando Gomes, presidente da FPF

Fernando Gomes assinala «conquistas» num «ano muito rico para as cores nacionais»

SELEÇÃO25.12.202310:58

O presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) partilhou, esta segunda-feira, uma mensagem de Boas Festas, na qual destaca as «conquistas» ao longo de «um ano muito rico para as cores nacionais» e as «responsabilidades sociais» desta entidade.

A mensagem do presidente da FPF na íntegra:

«A Federação Portuguesa de Futebol tem, ao longo dos anos, procurado guiar a sua ação muito para além dos seus princípios estatutários. Se estamos conscientes de que a nossa atividade não se esgota nas tarefas de promoção e desenvolvimento do futebol, na organização de competições ou das representações nacionais no estrangeiro, num balanço meramente desportivo não poderemos, no entanto, deixar de assinalar algumas das conquistas que tivemos ao longo de um ano muito rico para as cores nacionais.

A Seleção Nacional teve um registo de jogos cem por cento vitorioso. Sob a batuta de um novo Selecionador Nacional, Roberto Martinez, a quem só poderemos elogiar a forma como se integrou tão rapidamente no País que o acolheu de braços abertos, conseguimos dez vitórias em dez jogos e reservámos presença, pela décima quarta vez consecutiva, na Alemanha, em fases finais de campeonato europeus ou mundiais.

No futebol feminino também foi um ano de alegrias e orgulho inolvidáveis. Pela primeira vez disputámos um Campeonato do Mundo onde tivemos uma presença que empolgou milhões de fãs nacionais que, do primeiro ao último dia, estiveram do lado das nossas Navegadoras.

No futsal, sob a batuta sábia de Jorge Braz, confirmámos, com nove vitórias em dez jogos,  o apuramento para o Campeonato do Mundo, onde defenderemos o título conquistado na Lituânia. Os igualmente bicampeões europeus apenas podem lamentar ter perdido, no último jogo do ano, um registo de invencibilidade que dificilmente será igualado nesta e em qualquer modalidade: sete anos e quase três meses sem quaisquer derrotas em jogos oficiais. Temos um orgulho ímpar neste percurso que, certamente, continuará a ser de grande sucesso.

Uma nota ainda de regozijo pelo apuramento da Seleção Nacional de Futebol de Praia para o Campeonato do Mundo de Futebol de Praia, a realizar no Emirados Árabes Unidos, em Fevereiro.

Não podendo individualizar todas as nossas equipas, jogadoras e jogadores, treinadoras e treinadoras, assinalo ainda outros grandes momentos do ano: dez apuramentos para fases finais de grandes competições; cinco pódios;  as presenças nas finais do Campeonato de Europa de futebol sub-19 e do Campeonato da Europa de Futebol de Praia feminino e a conquista, brilhante, do Campeonato da Europa de futsal sub-19.

Porque consideramos que devemos ter sempre a consciência da felicidade do que vivemos mas também do trabalho que custa prepará-la, continuámos a semear o futuro no presente: alargámos a base da pirâmide do futebol, atingindo mais de 215 mil praticantes federados; chegámos, desde a sua inauguração, em 2017, aos mais de 300 cursos ministrados e seis mil alunos formados pela Portugal Football School; atingimos o recorde de mais de 1200 clubes e escolas e academias de futebol certificadas para o ensino da modalidade nas suas diferentes vertentes. Continuámos a apostar na edificação de estruturas desportivas de topo com a construção da fase 3 da Cidade do Futebol que incluirá o novo Pavilhão de Futsal, a sede da Portugal Football Scholl e as instalações definitivas do Canal 11.

Finalmente, porque são projetos que nos orgulham e que explicam a forma como vivemos os nossos dias, conquistámos a organização do Mundial 2030, em conjunto com Espanha e Marrocos, e implantámos a Hora dos Superquinas, uma iniciativa que já deu aos alunos de mais de 500 escolas do 1º e 2º ciclo de todo o País e regiões autónomas a oportunidade de combater o sedentarismo e melhorar a literacia motora das crianças.

Encaramos a época natalícia, que agora celebramos, apenas como mais uma oportunidade de darmos ênfase ao que procuramos atingir todos os dias do ano: uma sociedade mais rica, mais igualitária, mais inclusiva, mais inovadora e que respeita, em todas as circunstâncias, os mais elementares direitos humanos. Depois de, em 2023, vermos publicado o novo regime jurídico da formação desportiva, estamos certos de estar melhor capacitados para defender todos as crianças e jovens que praticam futebol. Muito para além das quatro linhas, pugnamos por valores como a harmonia, a transparência, a defesa dos mais fracos e vulneráveis, o direito a vivermos num mundo que respeita o meio ambiente, o feminismo ou a frontal e irredutível luta contra todas as formas de discriminação. Não aceitamos a desonestidade, a corrupção, a xenofobia, o racismo, a homofobia, a misoginia ou qualquer outra espécie de violência.

Acreditamos que uma organização que é um grande motor desportivo e económico e talvez o mais reconhecível elemento de identificação de Portugal no estrangeiro, tem de assumir sem rodeios as suas responsabilidades sociais. E creio igualmente que esse esforço deverá ser feito discretamente, sem procurar o aplauso pela realização de uma tarefa que está na nossa natureza. Não posso, no entanto, nesta altura, deixar de agradecer os esforços dos nossos sócios, funcionários, colaboradores e parceiros que tornaram possível que ao longo deste ano, a FPF tenha sido um ator incontornável em áreas como a promoção dos estilos de vida saudável, o desenvolvimento da escola, a investigação científica, a defesa do ambiente, a melhoria das condições de saúde para todos ou o empoderamento feminino e o combate à exclusão.

Será no espírito de que “quem começa já vai a meio caminho” que iniciaremos o novo ano. Partimos cheios de esperança que continuaremos a ser um alicerce importante na vida do nosso País e de que procuraremos, como alguém brilhantemente me disse, estar à altura do nosso acrónimo: Fazer os Portugueses Felizes.

A todos os nossos compatriotas mas também aos nossos adeptos espalhados pelo mundo inteiro, com particular ênfase para os que atravessam mais dificuldades nos seus percursos pessoais ou que por razões diversas estão longe dos seus entes queridos, envio os meus votos de um Feliz Natal e um excelente ano de 2024!»