Inteligência Artificial chega à Fórmula 1 no Grande Prémio de Abu Dhabi
Circuito Yas Marina em Abu Dhabi (IMAGO)

Inteligência Artificial chega à Fórmula 1 no Grande Prémio de Abu Dhabi

FÓRMULA 123.11.202315:42

Nova tecnologia destina-se a vigiar os limites de pista, para facilitar trabalho dos comissários da corrida

A Federação Internacional de Automobilismo (FIA) revelou que vai usar Inteligência Artificial para ajudar os comissários de corridas a vigiaram os limites de pista. A nova tecnologia vai ser já testada no Grande Prémio de Abu Dhabi de Fórmula 1, este fim de semana.

Numa entrevista ao site da organização, Chris Bentley, Diretor de Informação na FIA, avançou que a instituição criou o ‘Computer Vision’ – visão de computador, em português -, um programa que determina uma linha virtual, correspondente ao limite da pista, e calcula os pixéis do carro, para saber quantos destes ultrapassam a mesma linha.

A inovação pretende assim facilitar a vida dos comissários por dois motivos. Primeiro, o processo é mais rápido, levando a que as penalidades sejam atribuídas mais facilmente e, em segundo, porque a FIA acredita que este método será mais preciso.

Para contextualizar, só no Grande Prémio de Áustria de 2023, foram contadas cerca de 1200 possíveis infrações deste género, levando à penalidade de oito pilotos, cinco horas depois da corrida ter terminado.

Até ao momento, segundo Tim Malyon, Chefe do Centro de Operações Remotas (COR) da FIA – que ajuda a supervisionar estas infrações -, na mesma entrevista, o processo era feito a partir da recolha de três métodos, que muitas vezes mostravam dados contraditórios entre si, dificultando a tomada de decisão e o atraso no anúncio da mesma.

Apesar da introdução desta nova tecnologia, o plano não é que esta substitua os comissários da corrida neste trabalho, mas sim para desviar os casos em que claramente há limites que foram ultrapassados, deixando assim as restantes situações, menos claras, para os humanos.

«Também estamos a planear aumentar o número de pessoas do COR, passando de quatro para oito, no próximo ano, e vamos duplicar a largura de banda da ligação entre a pista em causa e Genebra [localização do COR] para facilitar o trabalho remoto de mais pessoas», afirmou.

Refira-se ainda que os próprios comissários da FIA já tinham admitido «incapacidade» em aplicar a atual regra, tendo pedido melhores soluções tecnológicas.