Seleção de Andebol focada em alcançar o 5.º lugar
Pedro Portela, ponta de 34 anos. Foto: IMAGO/Eibner

Seleção de Andebol focada em alcançar o 5.º lugar

ANDEBOL22.01.202416:53

Jogadores admitem algum cansaço, mas reiteram ambição de vencer os Países Baixos e chegar ao pré-olímpico

Portugal joga na terça-feira o último jogo da fase principal, contra os Países Baixos, e sabe que, em caso de vitória, pode garantir o terceiro lugar do Grupo 2, o que lhe permitirá disputar o quinto lugar da competição (num jogo contra o terceiro lugar do Grupo 1) e o acesso ao pré-olímpico para Paris 2024. Em declarações à Agência Lusa, Rui Silva, capitão da seleção portuguesa, reiterou esta segunda-feira que dependem apenas de si mesmos, e afirmou que está «preparado para lutar por isso».

Rui Silva. Foto: IMAGO/Beautiful Sports

«Se antes do Europeu nos dissessem que íamos disputar o último jogo com a possibilidade de depender só de nós para atingir esse objetivo, acredito que tínhamos todos assinado por baixo e isso é uma grande vantagem para nós», disse o central, revelando ainda confiança para o encontro que falta: «[A seleção dos Países Baixos] neste momento não luta por nada, mas o facto de estar entre as 12 melhores da Europa também faz com que, mesmo com zero pontos, queiram mostrar o seu valor». O jogador de 30 anos deixou ainda elogios ao adversário, referindo que «pratica um andebol muito rápido, com um ritmo muito elevado» e que «irá querer mostrar uma imagem diferente e que pode ganhar jogos contra equipas do top 12 europeu».

Francisco Costa. Foto: IMAGO/Beautiful Sports

O lateral Francisco Costa, de 18 anos, mostrou-se igualmente confiante, mas destacou o facto de a equipa sentir algum cansaço pela alta intensidade da competição: «Não somos de ferro, somos humanos. São muitos jogos, com muita carga. Jogos de alta intensidade com as melhores equipas da Europa, mas temos que aguentar. Ganha quem estiver melhor fisicamente», disse o jovem.

Pedro Portela também seguiu a mesma senda: a fadiga já se acumula, mas a equipa está satisfeita por depender apenas de si mesma para chegar ao pré-olímpico. «Vai ser um jogo complicado, mas temos um passo para dar contra os Países Baixos, para chegarmos ao jogo de atribuição do quinto e sexto, para depois ter uma oportunidade de melhorar a nossa melhor classificação», disse (a melhor classificação lusitana foi em 2020, quando a seleção alcançou o sexto lugar).

O ponta de 34 anos garantiu compromisso máximo: «Vamos dar tudo. Vamos entrar com a mesma ambição e motivação de todos os outros jogos. Estamos um pouco mais cansados, mas todas as seleções estão muito mais cansadas por jogar de dois em dois dias, mas acho que vamos estar preparados para ganhar aos Países Baixos.»