Portugal soma segunda derrota com a Alemanha na preparação do Europeu
Gilberto Duarte, travado por um adversário alemão em jogo de preparação para o Europeu de andebol (IMAGO)

Portugal soma segunda derrota com a Alemanha na preparação do Europeu

ANDEBOL06.01.202419:00

Desaire por 35-31 frente à anfitriã da fase final

Portugal perdeu novamente com a Alemanha, no segundo jogo de preparação para o Europeu que arranca em solo germânico na próxima quinta-feira.

Depois da derrota em Flensburgo por 34-33, a equipa orientada por Paulo Jorge Pereira sofreu novo desaire, desta vez por 35-31.

A equipa lusa jogou os primeiros 20 minutos a grande nível, impondo-se com uma defesa muito móvel a dificultar o ataque germânico e um ataque que teve em Kiko Costa o jogador mais eficaz - ele que terminou com nove golos.

Depois de ter conseguido três vantagens ainda na primeira metade da etapa inicial, Portugal sentiu maiores dificuldades no momento em que rodou a equipa, sentindo claramente falta de um segundo central. Recorde-se que Rui Silva foi dispensado dos dois jogos particulares por ter sido pai nos primeiros dias do ano e para dar descanso a Miguel Martins, Paulo Jorge Pereira adaptou Martim Costa à posição, mas o ataque perdeu fluidez.

Essa foi uma das razões a justificar que ao intervalo se registasse a maior diferença no marcador do encontro, com a equipa da casa a vencer por 20-15. A entrada dos Heróis do Mar no segundo tempo mostrou os piores dez minutos dos dois particulares disputados em solo germânico e a Alemanha disparou para 29-27, aproveitando o desacerto total em termos defensivos e dificuldades na recuperação defensiva.

A rotação da seleção alemã, porém, contribuiu para Portugal recuperar no marcador e entrar nos últimos 10 minutos do jogo a perder por um (29-28), mas a intenção clara de não forçar o ritmo na parte final do encontro numa fase adiantada da preparação para o Europeu impediu a Seleção de voltar a encostar no resultado depois de nova desvantagem de três golos nos últimos cinco minutos, confirmando-se a segunda derrota portuguesa frente à Alemanha, a cinco dias da estreia no Europeu.

Apesar dos dois desaires, Paulo Jorge Pereira terá, certamente, tirado boas notas dos dois particulares, uma vez que Portugal mostrou bons períodos de jogo frente a uma seleção que vai lutar pelos primeiros lugares. A ausência de Rui Silva, cérebro do jogo da Seleção, não permite perceber exatamente o momento da equipa, que inicia a prova frente à Grécia, teoricamente o adversário mais frágil do grupo.

De notar ainda que o jovem pivô Ricardo Brandão não somou qualquer minuto nos dois jogos disputados, bem como para o facto de o selecionador não ter testado o 7x6 que tão bons resultados deu no passado. A ausência por lesão de Fábio Magalhães, o jogador-chave no ataque em superioridade luso, pode ajudar a explicar a falta de aposta nesse sistema, ficando por perceber se essa forma de atacar poderá ser utilizada no Europeu.