«Temos equipa com potencial para ganhar o CAN»
José Peseiro é selecionador da Nigéria desde maio de 2022 (Foto: IMAGO / Aleksandar Djorovic)

«Temos equipa com potencial para ganhar o CAN»

José Peseiro, selecionador da Nigéria, projetou prova que arranca este sábado

José Peseiro, selecionador da Nigéria, fez a antevisão ao CAN (13 de janeiro a 11 de fevereiro), revelando que a Federação não lhe colocou objetivos mínimos para a seleção que ocupa o 42.º lugar do ranking da FIFA e que conquistou as edições de 1980, 1994 e 2013 da competição.

«Nunca me foi colocada nenhuma fasquia. Assinei pela Nigéria com o objetivo de poder vencer o CAN, até porque sabia da qualidade dos jogadores, da história da seleção e da possibilidade de, face aos recursos que temos, sermos campeões. Por isso, assinámos, mas só até ao final da CAN», afirmou à agência Lusa o treinador, que renovou contrato em setembro passado.

«Foi-nos proposto mais tempo de contrato na altura, mas dissemos que não. Queríamos chegar, garantir esta qualificação e ganhar o CAN. Em termos contratuais, a única coisa que estava [estabelecida] era o apuramento e não outros objetivos», reforçou o técnico, que comentou também as declarações de Nse Essien, membro da federação nigeriana, que citado pela AFP disse que se o organismo «tivesse dinheiro» estaria «disposto a demitir» o selecionador por não estarem satisfeitos.  

«As notícias que podem sair são dezenas ou centenas. Muitas vezes, não vêm da NFF, mas sim de pessoas anónimas e em nome individual. Ligamos pouco a isso e aquilo que nos vincula é a ideia de querer ganhar o CAN, sabendo que será muito difícil», reagiu.

No entanto, acredita que a seleção tem capacidade. «Temos uma equipa com potencial para ganhar o CAN2023. Perante esse dado, vamos para lá com tempo de trabalho e com melhor conhecimento das características dos futebolistas e da nossa ideia e forma de jogar», sublinhou.

Numa equipa que conta com caras da liga portuguesa, como Zaidu (FC Porto), Chidozie e Bruno Onyemaechi (Boavista), Peseiro destacou a estrela das super águias: «Osimhen foi eleito como o melhor jogador do continente e, como tal, há que considerar que temos o melhor avançado africano.»

«Nigéria é candidata»

Sobre candidatos à conquista do troféu, disse estar «em aberto». «Podem existir equipas mais favoritas: a Costa do Marfim, até porque joga em casa, bem como o Senegal e Marrocos, por aquilo que fizeram há muito pouco tempo. Depois, há aquelas que podem não ser tão favoritas, mas são candidatas: Nigéria, Egito, Gana, Camarões, Argélia e Tunísia, podendo estar ainda outras como a Guiné Equatorial ou o Mali

A Nigéria integra o Grupo A do CAN, tendo pela frente duelos em casa com Guiné Equatorial (domingo), a anfitriã Costa do Marfim (quinta-feira) e Guiné-Bissau (22 de janeiro), o que encerra dificuldades, segundo o treinador de 63 anos.

«Qualquer erro, um cartão vermelho ou uma jogada infeliz… Tanta coisa pode acontecer num torneio curto e fazer com que as melhores equipas não progridam. É para isso que temos de estar preparados e focados e já estamos concentrados. Se queremos vencer o CAN, temos de passar e o grupo não é fácil. Será muito difícil», antecipou.

«Somos melhores do que a Guiné-Bissau, mas o único jogo oficial que perdemos até hoje foi com eles em casa [0-1, para a terceira ronda]», recordou sobre um dos adversários, antes de dizer que a organização do jogo da Nigéria «não é perfeita, mas tem qualidade e pode ombrear com quaisquer das melhores seleções africanas».