Competir em fecho de mercado não preocupa Vasco Seabra: «Confiamos neles»
A equipa do Estoril reage, momentos após a realização da final da Taça da Liga de futebol. Foto: Atlantico Press/Imago.

Competir em fecho de mercado não preocupa Vasco Seabra: «Confiamos neles»

NACIONAL30.01.202415:38

Treinador do Estoril mostrou-se sereno quanto ao facto de os canarinhos defrontarem o Rio Ave a poucas horas do encerramento das inscrições; garantiu mudança de 'chip' entre a participação na Taça da Liga e o regresso à Liga

Será com o encerramento do mercado de transferências bem à vista que o Estoril irá disputar o encontro referente à 19.ª jornada da Liga, ante o Rio Ave. Uma situação que não intranquiliza Vasco Seabra, que vincou a total confiança existente entre grupo de trabalho, equipa técnica, departamento de scouting e administração para que tal não interfira naquilo que defende ser a prioridade dos canarinhos: vencer a partida e afastar-se o mais possível dos lugares perigosos da tabela.

«Nós confiamos neles (ndr: scouting e administração), tal como eles confiam em nós, para preparar o jogo. Por isso, esta ligação que temos, todos juntos, é o que nos faz ser mais fortes para o que vamos enfrentar, que é o Rio Ave», sublinhou, defendendo ainda um mercado extremamente bem conseguido para o emblema da Linha de Cascais no que à gestão das entradas e saídas diz respeito.

«No mercado preenchemos as lacunas da forma que achámos que poderíamos tornar o grupo mais forte, mais coeso e também capaz, para enfrentarmos os jogos que aí vêm», rematou, concentrando-se essencialmente no desafio que terá pela frente em Vila do Conde, o primeiro desde a emotiva participação na final four da Taça da Liga. Depois de ter alcançado a final e ter apenas caído no desempate por penáltis, a hora é de mudar o chip.

«O chip muda-se sentindo que a equipa tem de competir todos os dias. Nós descansámos os jogadores que jogaram mais, que estiveram a fazer recuperação, e depois, no plano de jogo, já os sinto completamente ligados ao que estamos a fazer, por isso para nós todos os jogos continuam a ser a eliminar», informou, mostrando-se confiante sobre a capacidade de resposta do plantel nos planos físico e anímico.

A presença na final da Taça da Liga fica no passado, em moldura dourada, face ao momento de harmonia vivido com os seus apoiantes num momento que quase resultou numa conquista histórica para o clube. O presente, assume Vasco Seabra, está no Rio Ave, e o foco está na carreira da equipa na Liga.

«A verdade é que só estamos a pensar no Rio Ave. Aquilo que vivemos foi extraordinário e foi extraordinário também o que os adeptos viveram connosco e é por aí que começamos, que foi o calor que sentimos quando eles nos apoiaram e a moldura humana que demonstraram, remete-nos para a responsabilidade de que, de facto, cada jogo para nós tem de ser uma final e de temos de pensar encará-lo dessa forma», assegurou, competitivo.

A conduta e capacidade demonstrada pelo guarda-redes Dani Figueira, habitual suplente nos jogos da Liga e titular nas Taças que assumiu a baliza na Taça da Liga, com duas prestações de grande qualidade, mereceu elogios por parte do seu treinador, que admitiu sentir dúvidas relativamente à escolha do guarda-redes a utilizar não só em Vila do Conde, como também nas semanas que se seguem.

«O Dani é o nosso capitão e fez dois jogos extraordinários, neste momento provoca-me dores de cabeça boas, coisas boas. Tenho a certeza de que ele e o Marcelo Carné vão competir até ao final, cada jogo será um jogo e por isso não tenho dúvidas de que essas são decisões que terei de tomar todas as semanas», projetou, totalmente descansado relativamente à qualidade dos dois concorrentes que o Estoril reúne para a sua baliza.