Arouca: «Não estamos a pensar em vinganças»
Daniel Sousa, treinador do Arouca. Foto: JOSÉ COELHO/LUSA

Arouca: «Não estamos a pensar em vinganças»

NACIONAL27.01.202415:32

Depois de ter sido eliminado pelo Vizela na Taça de Portugal, Daniel Sousa está mais cauteloso

No 10º lugar, com 19 pontos, e mais seis que o penúltimo Vizela, os lobos de Arouca querem capitalizar o triunfo no Estoril (1-2) para reforçar a posição na tabela. Um jogo que Daniel Sousa aprecia de forma cuidadosa, após o desaire que foi a eliminação na Taça de Portugal às mãos do adversário que amanhã visita o Municipal de Arouca.

«Foi um jogo em que o Vizela fez várias mudanças no onze. Agora, será um jogo semelhante, mas com outros intérpretes por parte do Vizela. Estávamos bem preparados nessa altura, mas o jogo deu para tirar algumas ilações sobre as dinâmicas do Vizela. Passados alguns jogos, percebemos melhor essas dinâmicas e estamos também melhor preparados. A análise que fizemos no jogo da Taça de Portugal não é a mesma que fazemos nesta altura. A tabela classificativa é importante, mas não nos devemos iludir com a posição do Vizela. Compete-nos fazer uma gestão contínua para não nos expormos a nenhum tipo de situação que seja externa a nós», começou por referir o treinador do Arouca na antevisão ao encontro, relativizando a importância do mesmo no contexto do campeonato. 

«Trabalhar sobre vitórias é sempre melhor. Mas não é um resultado que vai alterar o percurso que temos de percorrer. Na tabela, as equipas continuam muito próximas e a cada jornada as coisas podem mudar. Todos os jogos são importantes e não consigo medir a importância deste jogo em relação a outros. O que nunca muda é a nossa vontade de querermos conquistar os três pontos. Não estamos a pensar em vinganças, queremos apenas a vitória, é isso que queremos com todas as equipas.»

A meia dúzia de dias do fecho do mercado e com algumas unidades da equipa, mormente no setor atacante - onde se destaca o melhor marcador da equipa Rafa Mújica - sob os holofotes do scouting internacional, Daniel Sousa vincou a sua perspetiva sobre o assunto. 

«Estes mercados são bastante complicados. São mercados de ajuste ou de reajuste e que podem servir para algum planeamento futuro. Acho esta perspetiva interessante para qualquer clube que tenha oportunidade de se mexer neste mercado, mas não é uma realidade muito fácil. Em relação à minha equipa, estou muito satisfeito com os meus jogadores, eles sabem qual é a minha opinião. Obviamente, há situações que por vezes são incontornáveis e isso tem que ver com os interesses dos clubes. Quando alguém chega e paga o que está estipulado, aí não há muito a fazer. Eu não quero perder nenhum jogador, para mim todos são indispensáveis. É isso que eu sinto e não o estou a dizer apenas da boca para fora. Mas há coisas que ultrapassam o domínio dos treinadores e até dos jogadores», admitiu.

Satisfeito com o grupo de trabalho, o mister dos lobos reforça a intenção de cumprir as prioridades do clube: manter-se na Liga o quanto antes. 

«Temos um plantel já extenso, com 28 jogadores. Estamos satisfeitos e reforçar a equipa só se for por uma questão de futuro ou de oportunidade de mercado. O Arouca é uma das equipas da Liga que está mais situada no interior e isso dificulta ter equipas B ou outras. Essa posição trás desafios para o que tem sido a gestão do clube, uma gestão que tem sido feita de forma exemplar. O nosso objetivo primeiro foi sair dos últimos lugares e continuamos a trabalhar para estabilizar o Arouca na Liga», concluiu Daniel Sousa. 

Para a receção aos vizelenses, Quaresma, Hamache, Galovic e Vitinho estão lesionados e estarão fora da convocatória, tal como o médio Pedro Santos, castigado com o quinto cartão amarelo. Já o central Matias Rocha evoluiu positivamente é está pronto para poder ir a jogo, numa posição em que Rafael Fernandes também espreita a oportunidade ao lado de Montero.