A análise de Artur Jorge à derrota do SC Braga frente ao FC Porto
IMAGO

A análise de Artur Jorge à derrota do SC Braga frente ao FC Porto

NACIONAL14.01.202423:34

Técnico dos arsenalistas na sala de imprensa do Dragão, após o desaire diante dos azuis e brancos (2-0)

No rescaldo da derrota do SC Braga no Dragão, que coloca os minhotos a 10 pontos do topo da Liga, Artur Jorge admite que faltou «agressividade» aos arsenalistas, e realça que o primeiro golo do FC Porto trouxe «intranquilidade» à equipa.

- Que análise faz ao jogo desta noite? O que correu mal ao SC Braga?

- «Para além do resultado, não correu bem o que conseguimos aqui fazer. Não fomos capazes de impor o nosso jogo, sofremos o golo demasiado cedo. Por consequência disso, tivemos alguma instabilidade com bola. Assim, fica sempre mais dificil, porque a segunda parte não foi muito diferente.»

- A recente mudança tática do FC Porto, com a presença de Nico González e maior profundidade nos corredores laterais, surpreendeu? Acha que houve mais mérito do FC Porto?

- «Não fiquei surpreendido, vimos o FC Porto jogar desta forma contra o Estoril. Sabíamos que a probabilidade de o repetir era grande, porque fizeram um bom jogo. A grande diferença é a ausência de Taremi, nesta altura tem o Pepê quase como terceiro médio, a jogar entre linhas. Não creio que foi por aí. Tivemos dificuldades, muitas vezes perdemos a bola sem pressão do adversário. O golo sofrido agravou a intranquilidade. Tivemos uma oportunidade de golo para igualar o jogo, na primeira parte, mas foi muito pouco.»

- Qual é o estado anímico da equipa depois desta derrota?

- «Estado anímico é sempre de desilusão, depois de uma derrota. Temos de olhar para dentro, e perceber o que temos de fazer para melhorar. Sofremos dois golos que ditaram o resultado do jogo.»

- A equipa do SC Braga é habituamente ofensiva, mas foi curta hoje. O que faltou?

- «Não conseguimos o que queríamos dessa ligação ofensiva, melhorámos quando tivemos o Álvaro [Djaló] em posições interiores. Tivemos pouca participação ofensiva dos laterais, mais do Borja do que do Victor Gómez. Não fomos tão eficazes como queríamos. Tivemos algumas ocasiões na segunda parte, variações mais longas e largura pelos laterais, mas não o suficiente para criar mais situações.»

- Existe uma fadiga mental do SC Braga nos jogos grandes?

- «Parece-me evidente que as opções acabam por condicionar, faltou energia à equipa, faltou agressividade nos duelos. Devíamos ter sido mais combativos. Ficámos aquém daquilo que era expectável.»

- SC Braga está agora a 10 pontos do líder. Ainda é candidato ao título?

- «O SC Braga é candidato a ganhar o próximo jogo, na quinta-feira, em Famalicão.»