Roberto Martínez: «Não há sorteios simpáticos» (vídeo)
Roberto Martínez. Foto: IMAGO/Sportsphoto

Roberto Martínez: «Não há sorteios simpáticos» (vídeo)

SELEÇÃO08.02.202418:24

Treinador da Seleção falou sobre os adversários na Liga das Nações; selecionador da Croácia deixou grandes elogios a Portugal

Portugal ficou a conhecer, esta quinta-feira, os adversários que integram o seu grupo na Liga das Nações 2024/25 (Croácia, Polónia e Escócia). Após o sorteio, Roberto Martínez deixou algumas considerações sobre as seleções com que a Seleção vai medir forças, considerando que os adeptos vão ter direito a «jogos espetaculares».

«Acho que é um sorteio que dá uma possibilidade aos nossos adeptos de desfrutar muito, vão ser seis jogos espetaculares. Croácia é uma equipa que vai a finais, jogou a final da Liga das Nações o ano passado, sabemos o que têm feito no Mundial e Europeu, é uma geração com um futebol mágico. Depois, acho que a Polónia com um ponta de lança como Lewandowski é uma equipa que tem sempre capacidade de marcar golos. Acho que a Escócia tem a melhor geração dos últimos vinte anos, uma geração que voltou ao Europeu, que ganhou a Espanha. É um sorteio muito interessante para nós», disse o selecionador.

Martínez recusou a ideia de que o sorteio foi simpático para Portugal, e elogiou o formato da competição: «Não há sorteios simpáticos. É importante que queiramos crescer, a nossa fase de apuramento foi impecável, mas agora precisamos de continuar. Eu gosto muito do novo formato do torneio, que agora se disputa durante cinco estágios. É um período muito longo e implica muitas vezes mudanças no balneário, momentos de forma dos jogadores… acho que é muito importante para nós, para o futebol português disputar este novo formato.»

O selecionador da Croácia também deixou algumas palavras no final do sorteio, tendo elegido Portugal como «uma das melhores seleções da Europa» e confessando que tem muito respeito pela Seleção, «especialmente por Cristiano Ronaldo» e pelo seu «amigo Martínez». Zlatko Dalic confessa que vai ser difícil, mas espera «ganhar a Portugal pela primeira vez».