Rui Borges: «Rapidamente passamos de bestiais a bestas»
Foto: IMAGO

Rui Borges: «Rapidamente passamos de bestiais a bestas»

NACIONAL12.01.202414:34

Treinador pede reação enérgica à derrota caseira com o Casa Pia, amanhã, na Amoreira, diante do Estoril

Rui Borges, treinador do Moreirense, fez hoje a projeção do encontro com o Estoril, que se realiza amanhã, pelas 20h30, no Estádio António Coimbra da Mota. O treinador espera uma boa resposta da equipa após a derrota caseira com o Casa Pia e lamenta também a perda de André Luís, que está de saída do plantel para abraçar um novo projeto profissional na China.

-- Que reação espera no jogo com o Estoril, depois da derrota com o Casa Pia?

-- É um jogo difícil, dentro dos que temos encontrado. A derrota foi uma derrota, apenas um jogo, tanto me fazia ser por 1-0 ou 4-1. Foi apenas um jogo menos conseguido, não vamos pensar que está tudo mal. Vamos procurar voltar a ser o que éramos porque foi apenas um jogo. A equipa tem de perceber que o foco e concentração têm de ser maiores do que era antes. O trabalho e o compromisso têm de estar inerentes desde o princípio ao fim. Estamos numa posição boa, mas passamos rapidamente de bestiais a bestas. Vamos ter um ciclo de dois meses com bons jogos, mas temos de estar cientes das dificuldades que vamos encontrar. Não queremos ter dissabores. O Estoril vem de duas derrotas, mas antes disso tinha uma boa série de resultados. É uma equipa que gosta de ter bola e valorizar o jogo. Temos de estar concentrados e proativos, algo que nos faltou na última partida.

-- O surto gripal no plantel aumenta as limitações?

-- Foi uma semana difícil, com complicações no grupo. Fomos muito afetados, mas isso não pode servir de desculpa. Foi uma semana difícil, com muita malta sem treinar, muitos que não treinaram ainda. Vamos ver quem está melhor para o jogo. Todos estão preparados e dentro dos comportamentos da equipa. A semana foi mais curta, mais difícil porque não conseguimos trabalhar com toda a gente.

-- Como comenta a saída do André Luís?

-- O André já não é opção para jogo e treino. Temos de olhar para as opções que temos, todos estão dentro das dinâmicas do grupo. Uns dão mais umas coisas, outros, outras. Não podemos fugir à ideia principal do que temos sido ao longo da época, seja com o Matheus, o Macedo ou o Mingotti. Não vou estar a lamentar a saída do André.

-- O que pode valer o reforço Vinícius Mingotti?

-- É um jogador com características diferentes do André. É um jovem em crescimento, com boas características, um avançado que ataca a profundidade, de área, com boa capacidade de finalização. O Mingotti vai ter a adaptação ao futebol europeu, chegou agora e estava de férias. Mas, é um avançado que vem da Série A, por isso tem de ter potencial. Acreditamos nele e a estrutura também. Temos esperança que acrescente à equipa.