Os destaques do Moreirense: João Camacho escapou ao descalabro

Os destaques do Moreirense: João Camacho escapou ao descalabro

NACIONAL20.01.202422:49

Extremo tentou remar contra a maré; quatro mexidas de uma assentada ajudaram a ruir a consistência dos cónegos

A figura -- João Camacho

Do meio de um descalabro enorme, o extremo foi, sobretudo na primeira parte, a unidade que mais calafrios causou à defensiva azul e branca. Teve dois remates perigosos e muita disponibilidade física, não sendo, contudo, devidamente acompanhado pelos companheiros de setor. Quando saiu a equipa perdeu essa vivacidade em campo.

O Moreirense foi do céu ao inferno após o intervalo, embora na primeira parte tenha sido competitivo, procurando ferir o adversário em rápidas transições. No golo de Wendell, Dinis Pinto deu demasiado espaço ao brasileiro do FC Porto, ao passo que Kewin Silva não terá medido bem onde o cruzamento de Francisco Conceição ia cair, além de ter comprometido no 5-0. Defensivamente, os cónegos estiveram coesos na primeira parte, mas na segunda foi um descalabro. Gonçalo Franco tentou remar contra a maré, mas o seu esforço foi inglório. Kodisang teve tudo para ser feliz, podendo empatar logo após o intervalo, mas a bola saiu rente ao poste. Alan, com um futebol de recorte fino, tentou gizar alguns lances de muito perigo, mas a verdade é que foi inconsequente a sua vontade. O treinador Rui Borges fez quatro alterações de uma assentada após o 2-0 e a verdade é que a equipa acabou por se desnortear. As operações realizadas, diga-se em abono da verdade, acabar por ajudar na derrocada final, pois retiraram muita consistência à equipa.

As notas dos jogadores do Moreirense: Kewin Silva (4); Dinis Pinto (4), Marcelo (4), Maracás (4) e Pedro Amador (4); Kodisang (5), Rúben Ismael (5), Gonçalo Franco (6) e João Camacho (6); Alan (6) e Pedro Aparício (4); Os suplentes utilizados: Rodrigo Maciel (5), Madson (5), Frimpong (5), Ofori (5) e Antonisse (-).