Estoril: Pavlic regressou dois meses depois…pelos sub-23
Ivan Pavlic (à direita) disputa a posse de bola com Rafik Guitane (à esquerda) em sessão de treino do Estoril. Foto: Estoril Praia SAD.

Estoril: Pavlic regressou dois meses depois…pelos sub-23

NACIONAL12.12.202320:29

Médio neerlandês não era utilizado oficialmente há mais de dois meses e voltou à competição pela equipa sub-23, tendo sido lançado ao intervalo da vitória sobre o Sporting, pela Liga Revelação (2-0)

Enquanto o plantel principal do Estoril inicia a preparação para a próxima ronda da Liga, que reservará uma deslocação ao reduto do Famalicão no próximo domingo, a equipa sub-23 cumpriu ao início da tarde desta terça-feira mais um encontro relativo à Série B da Liga Revelação, na qual já havia garantido a qualificação para a fase de apuramento de campeão, no qual reservou uma surpresa: Ivan Pavlic foi lançado ao intervalo do embate frente ao Sporting e estreou-se na presente edição da prova.

Há muito fora das opções de Vasco Seabra para a primeira equipa, Pavlic encontrou uma boa oportunidade para rodar numa deslocação dos canarinhos até à Academia Cristiano Ronaldo para defrontar os leões e vencer por 2-0, garantindo o primeiro posto da classificação final da primeira fase. O Estoril marcou os dois golos que lhe possibilitaram a vitória ainda na primeira parte e ao intervalo lançou o neerlandês, que aproveitou bem a oportunidade concedida e se mostrou comprometido com a segunda equipa.

Pavlic, de 22 anos, entrou bem em jogo, protagonizando ações defensivas de realce, logo alcance na intermediária e até assumiu a cobrança dos pontapés de canto e com a inclusão do médio na equipa sub-23, o Estoril conseguiu oferecer alguma competição a um jogador que não tem feito parte das escolhas e há mais de dois meses não era utilizado. 

A última aparição de Pavlic pelo Estoril havia tido lugar a 7 de outubro, na receção ao Benfica (derrota dos canarinhos por 1-0) e, desde então, este tem-se limitado a treinar até surgir esta possibilidade de manter elevados os seus índices competitivos, visto que o seu espaço nos principais se encontra, neste momento, tapado.

Os últimos dois meses têm colocado Pavlic numa posição de alternativa, atrás da dupla habitualmente titular na intermediária, composta por Jordan Holsgrove e Mateus Fernandes, Koba Koindredi, a alternativa imediata a este duo, e ainda Mor Ndiaye e Alex Soares, que surgem numa linha secundária relativamente a estes dois atletas e têm complicado a presença do atleta dos Países Baixos inclusivamente entre o lote de convocados, desconhecendo-se inclusivamente quando – e se… - voltará a figurar entre os eleitos.

O camisola 28 encontra-se aos dias de hoje numa posição bastante diferente daquela que conheceu no início da época, no qual arrancou como escolha inicial na altura para Álvaro Pacheco, que lhe proporcionou a titularidade na equipa principal estorilista nos primeiros cinco encontros da temporada, relativos às duas primeiras eliminatórias da Taça da Liga e as três primeiras jornadas da Liga. A partir daí, saiu das opções e, desde então, contabilizava apenas 34 minutos, divididos por três partidas (uma pela Taça da Liga e duas pela Liga).

Em função deste panorama, o calendário da equipa sub-23, que completa a primeira fase da Liga Revelação, teve utilidade e é aproveitado pelos responsáveis estorilistas para garantir minutos a elementos à procura de minutos: há uma semana, na receção ao Estrela da Amadora, no Jamor, havia sido Finn Dicke, também ligado à equipa principal, a ser utilizado e a cumprir 65 minutos de jogo, existindo a expectativa sobre o que sucederá na última jornada da primeira fase, que reservará uma receção ao Benfica no próximo dia 23.

Pavlic, Dicke…ou ambos podem voltar a ter minutos pela equipa secundária e, na perspetiva da equipa principal, terão Famalicão (já este domingo), e Farense (no dia 30), para uma possível derradeira oportunidade de convencer Vasco Seabra. No caso de Pavlic, encontra-se em final de contrato e a partir de 1 de janeiro até poderá comprometer-se com outro clube a partir da próxima temporada, pelo que a sua saída, por acordo de transferência ou com rescisão por mútuo acordo, é um cenário possível já na reabertura do mercado.