«Estive três dias à porta do centro de treinos do Bayern à espera do carro de Guardiola»
Gattuso, treinador do Marselha, onde joga Vitinha (IMAGO / PanoramiC)

«Estive três dias à porta do centro de treinos do Bayern à espera do carro de Guardiola»

INTERNACIONAL06.01.202410:32

Revelação curiosa de Gattuso, atual treinador do Marselha, onde atua o português Vitinha

Gattuso, atual treinador do Marselha, revelou que se tornou fã e admirador de Guardiola quando defrontou, como jogador, o Barcelona.

«Quando tinha uns 27 ou 28 anos começámos a jogar contra o Barça do Xavi, Iniesta, Ronaldinho, Messi… Houve algo que aconteceu dentro de mim. Corremos 95 minutos, fiz uma maratona em todas as partidas contra eles e toquei três ou quatro vezes na bola. Não entendíamos o que estava a acontecer connosco. Comecei-me a interessar, estudei, olhei…», revelou, em entrevista ao L’Équipe

Gattuso treina Vitinha no Marselha (IMAGO / PanoramiC)

O italiano, de 45 anos, contou ainda uma história relacionada com Guardiola, depois da mudança do espanhol do Barcelona para o Bayern.

«Estive quase três dias à porta do centro de treinos do Bayern, à espera de ver chegar o carro de Guardiola. Não tinha pedido nada a ninguém, porque não gosto de pedir favores. Reconheceu-me quando passou por nós, mas já lá tínhamos estado nos dois dias anteriores. Eu e o Gigi [seu adjunto] estávamos a morrer de frio», afirmou.

Gattuso (IMAGO / PanoramiC)

Gattuso tem outros treinadores como referência, como Ancelotti, Marcelo Lippi, Walter Smith e Alberto Zaccheroni.

«Nos treinos grito durante uma hora e um quarto como um martelo pneumático, mas quando acaba não quero que ninguém da minha equipa técnica ande a deambular pelo balneário ou sala de massagens. Não quero saber se dizem 'que treinador idiota', porque eu disse isso muitas vezes quando era jogador», disse, falando ainda sobre as críticas de que é alvo.

«Não vamos mudar o mundo. Vivemos num mundo de maldade por culpa daqueles a quem eu chamo de 'leões do teclado', que derramam o seu ódio atrás de um ecrã e podem destruir-te em 10 minutos. Tens de ter força para acreditar naquilo que fazes», concluiu.