Servir o Benfica questiona silêncio de Rui Costa, mas deixa claro: «Arbitragens não justificam más exibições»
Francisco Benítez, Movimento Servir o Benfica

Servir o Benfica questiona silêncio de Rui Costa, mas deixa claro: «Arbitragens não justificam más exibições»

NACIONAL05.12.202316:12

Movimento fez publicação nas redes sociais

O Movimento Servir o Benfica – grupo de sócios que conduziu Francisco Benítez às últimas eleições do clube –, partilhou, esta terça-feira, um comunicado, nas redes sociais, onde questiona o «silêncio» da direção liderada por Rui Costa «perante a Liga, Federação Portuguesa de Futebol e o Conselho de Arbitragem».

«No passado dia 6 de setembro emitimos um comunicado com o título 'A Batota não pode ganhar'. No mesmo estavam expressas as nossas preocupações relacionadas com a salvaguarda da integridade das competições profissionais de futebol e onde elencámos um conjunto de medidas para as garantir. Passados três meses, e um dia depois em que Domingos Paciência é nomeado diretor técnico da Liga, continuamos a assistir ao degradar da integridade da competição, que nem a divulgação parcial das comunicações entre árbitro e VAR permite escamotear», pode ler-se.

«O movimento Servir o Benfica não pode branquear estes erros nem deixar de questionar o silêncio do Sport Lisboa e Benfica perante a Liga Portugal, a Federação Portuguesa de Futebol e Conselho de Arbitragem», prossegue-se.

«Sem prejuízo do acima exposto, as arbitragens não justificam as más exibições da equipa principal de futebol, que têm gerado natural preocupação na família Benfiquista. É nossa convicção que a Direção do Sport Lisboa e Benfica, equipa técnica e jogadores, estão cientes que é obrigatório fazer muito mais para o nível exibicional ser condizente com os pergaminhos do clube e que só o foco no trabalho diário permitirá que seja uma realidade a Honra e Glória de vencer o 39.º campeonato e as Taças de Portugal e da Liga em 2024. O apoio dos associados e adeptos do Clube não faltará, como Domingo voltou a não faltar em Moreira de Cónegos», conclui-se.

Tags: