Petit: «Temos de passar das palavras às ações»
Treinador dos axadrezados com quadro de soluções muito curto para o jogo com o Estrela da Amadora Manuel José (Foto: IMAGO)

Petit: «Temos de passar das palavras às ações»

NACIONAL09.12.202312:29

Quadro negro no Boavista, que perdeu Chidozie, por lesão, e arrisca-se a não ter centrais de raiz na Amadora; Abascal tenta recuperar a tempo de forma a minimizar os danos

Na antevisão ao jogo frente ao Estrela da Amadora, domingo, às 15.30 horas, no Estádio José Gomes, Petit falou sobre o atual momento delicado do Boavista. Os axadrezados estão num ciclo de cinco jogos oficiais sem vencer, com quatro derrotas consecutivas na Liga. Pelo meio, foram eliminados pelo Arouca da Taça de Portugal, adversário que logo a seguir, no Bessa, aplicou pesada derrota por 0-4 às panteras. O último triunfo para o campeonato foi frente ao Chaves (4-1), na 5.ª jornada, a 18 de setembro passado. Como se pode alterar um período tão acentuado de resultados negativos? O treinador responde sem rodeios.

«Esta semana refletimos e conversamos no que queremos melhorar. Em termos defensivos estamos constantemente a ter de fazer reajustamentos, desta vez perdemos o Chidozie, menos uma opção para o eixo central. A defesa é essencial para dar suporte à equipa e vamos ter de reajustar, sabemos que temos de procurar a nossa felicidade. Nunca é fácil trabalhar debaixo de resultados negativos, mas temos de saber reagir. No ciclo positivo que tivemos trabalhámos bem e jogámos bom futebol, mas sabíamos do risco de perder dois ou três jogadores fulcrais. Temos de arranjar soluções e tentar minimizar os erros individuais que nos causaram algumas derrotas. Temos de passar das palavras às ações», resumiu o treinador do Boavista.

Os contratempos não dão descanso a Petit. Abascal poderá ser o único central de raiz na equipa frente ao Estrela da Amadora, isso se recuperar, porque fez apenas um treino leve antes da viagem para a Amadora. Esta semana, o Boavista ficou sem o terceiro guarda-redes. Luís Pires vai ser submetido a intervenção cirúrgica após ter sofrido uma rotura do ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo, o que implicará um tempo considerável de paragem, tal como acontece, de resto, com César. Com mais esta ausência, as opções no plantel ficam reduzidas a apenas duas. João Gonçalves, o titular, e Tomé Sousa, de 16 anos, que foi chamado recentemente à seleção sub-18, são os nomes que restam a Petit. «Preocupa-me ter apenas dois guarda-redes, é uma posição específica. É a primeira época do João e o  Tomé [Sousa] é um menino com quase 17 anos com muito futuro. Temos de rezar para que não haja nenhuma lesão», afirmou.

Além de Tiago Morais, castigados, estão lesionados os centrais Chidozie e Sasso, estando Abascal em dúvida. Luís Santos, Dabó e Reizinho continuam ao cuidado do departamento médico.